Archive for Sem categoria

ATENÇÃO: CARNAVAL – Portaria disciplina entrada de menores em eventos


 

O Juizado da Infância e Juventude da Comarca de Cuiabá publicou uma Portaria disciplinando a forma de entrada e permanência de crianças e adolescentes nos eventos carnavalescos realizados em Cuiabá no período de 11 a 22 de fevereiro deste ano.
O documento é assinado pela juíza Gleide Bispo Santos, em conformidade com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), nos termos do Artigo 149 da Lei nº 8.069, de 13 de junho de 1990.
Seguindo a determinação da Justiça, crianças e adolescentes com até 14 anos de idade poderão entrar e permanecer em bailes carnavalescos do tipo matinê, com horário máximo de encerramento marcado para as 21h. E a presença dos pais é obrigatória no evento para acompanhar o menor.
Acima de 15 anos, os adolescentes devem estar em companhia dos pais ou responsáveis. Também será permitida a presença deste público com autorização documentada e reconhecida em cartório.
Fica vetada a entrada e permanência nos bailes sem esses requisitos.
A magistrada determina ainda a proibição de venda e fornecimento de bebidas alcoólicas às crianças e adolescentes, mesmo que acompanhados dos pais. (Com Assessoria)

Fonte: Diario de Cuiabá


Os números de 2011


Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um excerto:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 9.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 3 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

Projetos de Lei em Goiás valorizam a Educação Física


Um projeto realmente importante e que outros estados deveriam seguir, principalmente Mato Grosso que não dão valor a estes profissionais nem a prática esportiva real

——————-

Um Projeto de Lei e outro projeto, para alterar uma lei já existente, estão tramitando na Assembleia Legislativa de Goiás, podendo, se aprovados, contribuir para uma valorização ainda maior da Educação Física. O Projeto de Lei 364/2011 garantirá vagas para o profissional de Educação Física em todo concurso na área de saúde realizado pelo estado de Goiás, instituindo a obrigatoriedade do profissional de Educação Física nos hospitais e unidades de saúde estaduais, especialmente nos Núcleos de Apoio à Saúde de Família.

O outro projeto propõe alterar a Lei Estadual 12.881/1996, para que reconheça as academias e similares como entidades da área de saúde. A principal justificativa é que o próprio Conselho Nacional de Saúde já reconhece a profissão de Educação Física como sendo dessa área desde 1997, pela Resolução CNE 218. As duas propostas são do deputado estadual Ademir Menezes (na foto, com o presidente do CREF14/GO-TO, Rubens dos Santos Silva).

Fonte: Boletim nº 81 Confef  – Conselho Federal de Educação Fisica

Lei da Copa prevê a dispensa do visto a estrangeiro que adquirir ingressos


Comprovante de renda, de residência, de emprego fixo, declaração escolar e extratos bancários. A pilha de documentos exigidos atualmente para que estrangeiros possam fazer turismo no Brasil deve ser reduzida a um simples ingresso para algum dos jogos da Copa do Mundo de 2014. A brecha consta na Lei Geral da Copa, em análise no Congresso. O texto do projeto estabelece o afrouxamento nas rotinas de concessão de vistos a estrangeiros vindos de países que atualmente só deixam os brasileiros partirem de seus aeroportos mediante um pente-fino financeiro e criminal em suas vidas.

Depois da Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, o Brasil será o segundo país a suspender suas regras vigentes de seleção de imigrantes temporários para se adequar às exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A Lei Geral da Copa diz que “considera-se documentação suficiente para obtenção do visto de entrada ou para o ingresso no território nacional o passaporte válido” em conjunto “com qualquer instrumento que demonstre a sua vinculação com os eventos”, resumido no capítulo três da lei como “ingressos ou confirmação de aquisição”.

A Alemanha, na Copa de 2006, divulgou regras de emissão de vistos e o país fez questão de ressaltar que, apesar de estar “aberto” ao evento, não mudaria normas para facilitar a entrada de turistas e sugeriu aos torcedores que tirassem o visto antes de comprar o ingresso: “O Ministério das Relações Exteriores recomenda a todos os fãs de futebol que necessitam de visto a encaminhar os documentos o mais cedo possível”. Na época, o governo germânico ainda acrescentou que os ingressos não seriam sinônimo de comprovação de boa-fé do viajante. “A apresentação de bilhete para um jogo de Copa do Mundo ou uma prova de que esse tipo de bilhete foi comprado será vista apenas como uma forma de fundamentar o propósito da viagem, mas em si não concede o direito a um visto”, orientou o governo alemão. Nas Copas de 2002, na Coreia do Sul/Japão, e de 1994, nos Estados Unidos, também não houve abertura irrestrita de fronteiras.

Na África do Sul, entretanto, para resolver o encalhe de ingressos, as autoridades liberaram a entrada de estrangeiros com bilhetes e deixaram até mesmo de cobrar a taxa de visto, que custava cerca de US$ 60 no ano passado. Quando perceberam que o afrouxamento temporário das regras estimulou o aumento da procura por viagens ao continente africano, as autoridades lançaram mão de tratamento diferenciado na concessão de vistos.

Pedofilia
Enquanto o Congresso se prepara para analisar a Lei Geral da Copa, a Polícia Federal se preocupa com os problemas que a abertura dos aeroportos e das fronteiras aos turistas-torcedores pode trazer ao Brasil. A inteligência brasileira analisa a possibilidade de o evento atrair criminosos dos mais variados tipos, especialmente os ligados à rede internacional de pedofilia e conta com a ajuda da Interpol para ampliar alertas de “difusão vermelha” com o objetivo de barrar viajantes alvo de mandado de prisão.

De acordo com a Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos, do Ministério da Justiça, coordenada por José Ricardo Botelho, se a Lei Geral da Copa for aprovada como está, os agentes de segurança pública terão que fazer o pente-fino durante o desembarque dos turistas nos aeroportos. A secretaria estuda a criação de um banco de dados integrado, com informações da Interpol, das polícias dos estados que sediarão a Copa e da Polícia Federal para municiar consulados, embaixadas e agentes envolvidos na análise de imigração temporária.

O especialista em direito internacional Carlos Pellegrino afirma que usar o ingresso como condição para a entrada no país é “temerário”, mas acrescenta que o Brasil já possui experiência na deportação de estrangeiros caso a polícia identifique problemas. “Do ponto de vista do controle jurídico-político, acho problemático adotarmos essa flexibilização. Atrelar a entrada no país à compra do bilhete de ingresso é um pouco temerário.”

Governo e Fifa discutem regras
Integrantes do governo federal, da Fifa e do Comitê de Organizador Local (COL) se reuniram na tarde de ontem para discutir pontos polêmicos do projeto da Lei Geral da Copa. A reunião foi a primeira após o encontro em Bruxelas realizado no último dia 4 entre a presidente Dilma Rousseff e o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. No encontro, realizado a portas fechadas no Ministério do Esporte, a pauta foi direcionada para pontos específicos do projeto de lei, como o credenciamento e os direitos de transmissão. Após a reunião, que durou seis horas, ninguém deu declarações à imprensa. Em nota, o Ministério do Esporte disse apenas que o debate serviu para “aprofundar o diálogo entre as partes envolvidas e o Congresso , que examina o projeto de Lei Geral da Copa”. Entre os participantes, estavam o secretário nacional de Futebol e Direitos do Torcedor da pasta, Alcino Rocha; o chefe de Direito Comercial da Divisão de Assuntos Jurídicos da Fifa, Jörg Vollmüller; o advogado da Fifa Julian Chediak; e o representante do COL Álvaro Jorge. (Erich Decat)

Outros Mundiais
2010 – África do Sul
Após verificar o encalhe de boa parte da carga de ingressos colocada à venda, em abril de 2010, a dois meses do início do Mundial, a África do Sul abriu as portas para os turistas e chegou a isentar da taxa de visto, de cerca de US$ 60. Na prática, segundo a Fifa, houve aumento na procura por bilhetes.

2006 – Alemanha
O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha divulgou documento informando que os ingressos seriam apenas um documento a mais para o pedido de visto de turismo e que o país não modificaria suas regras em função dos jogos de futebol.

2002 – Coreia do Sul e Japão
Para entrar na Coreia do Sul, os brasileiros não precisavam de visto em viagens de até 30 dias. O Japão, porém, manteve a exigência de vistos para a entrada no país, mas redobrou o efetivo de funcionários envolvidos no atendimento aos turistas.

1998 – França
O país europeu não flexibilizou a concessão de vistos para os países cuja autorização era exigida. No entanto, os brasileiros já eram dispensados da exigência, bastando apenas apresentar passaporte válido.

1994 – Estados Unidos
Os brasileiros tiveram que tirar visto para acompanhar os jogos do Mundial. No mês que antecedeu a Copa, o consulado americano em São Paulo registrou aumento de 19% no número de pedidos de visto em relação ao mesmo período em 1993. Preocupados com a entrada de estrangeiros, o Serviço de Imigração dos EUA reforçou a fiscalização para evitar que os torcedores se transformassem em imigrantes ilegais depois dos jogos.

Fonte: Correio Brasiliense

Justiça suíça está disposta a complicar Ricardo Teixeira


Tido pela Fifa como um de seus principais inimigos, o repórter Andrew Jennings, da emissora inglesa BBC, está otimista em relação à comprovação de denúncias que podem complicar o presidente da CBF e do Comitê Organizador da Copa-14 (COL), Ricardo Teixeira. Em entrevista ao programa “Bola da Vez”, da ESPN Brasil, o jornalista revelou que a Justiça suíça está disposta a revelar documentos em que o cartola brasileiro reconhece ter recebido suborno da extinta empresa de marketing ISL, nos anos 90. Confira os principais trechos da entrevista:

DOCUMENTOS
Estamos confiantes porque há precedentes na Justiça suíça em que o magistrado exige a abertura do caso se houver interesse público ou envolver figuras públicas. E nada pode ser mais público e global do que a Fifa. Descobrimos com a BBC e com outros veículos suíços que estão recorrendo à Justiça local que não há acobertamento do governo e que o magistrado quer que vejamos os documentos. Teremos esse relatório, poderíamos tê-lo amanhã. Mas João Havelange (ex-presidente da Fifa) e Teixeira estão gastando muito dinheiro com advogados para impedir isso.

Teixeira e Havelange
tentam manter sigilo
Durante o programa “Bola da Vez”,
Andrew Jennings apresentou cópias
de e-mails enviados por três
advogados à Justiça suíça pedindo
a manutenção do sigilo dos
documentos referentes ao caso ISL.
As denúncias do processo envolvem
subornos de cerca de US$ 100
milhões (R$ 158,1 milhões). Segundo
o jornalista inglês, dois deles
trabalham para João Havelange e
Teixeira. O terceiro representa
Joseph Blatter, presidente da Fifa.Os brasileiros não são citados
nominalmente nos e-mails, mas
através de siglas cujos significados
foram revelados por Jennings. B2
seria Teixeira; Z, Havelange.

– Teixeira e Blatter estão unidos pelo
dinheiro e, agora, por esse caso. Eles
precisam coordenar suas tentativas
de impedir o acesso da imprensa a
esse relatório fantástico que nos dirá
quando eles receberam – afirmou
o jornalista.

APOIO BRASILEIRO
O Itamaraty poderia tentar (intervir na liberação do relatório da Justiça suíça). É um governo soberano, eleito. Eles têm direito de dizer ao governo suíço, de modo amigável: “Sabemos que vocês fizeram essa investigação, estamos preocupados porque acreditamos que uma das pessoas que admitiu receber propina controla a nossa Copa do Mundo. Precisamos de ajuda.”

INTERVENÇÃO
Os governos precisam interferir mais. Blatter pode dizer ao Brasil: “Ei, qual é seu nome? Dilma? Aqui quem fala é Zurique. Não toque em Teixeira, ele é meu garoto, ok? Governo brasileiro, pare com isso. Use seus impostos para pagar nossa Copa do Mundo.” Blatter precisa que um grande país – e acho que estou em um – diga que não pode ser comandado por ele. Blatter nunca irá tirar a Copa do Brasil, certo? Vocês têm poder para fazer uma limpeza. Isso ajudaria o resto do mundo a dizer “não” à corrupção.

SUBSERVIÊNCIA
Acho que o Brasil é o caso mais impressionante (de subserviência de políticos a dirigentes). O que descrevem para mim aqui é o exemplo de como uma pessoa como Teixeira envenena seu sistema. Se ele fosse removido, os políticos não poderiam recorrer a ele. E seria difícil conseguir dinheiro sujo para sua eleição. Ele envenena seu sistema político nacional. E, como me disseram, ele tem políticos sob controle. Quem é esse homem para isso?

SEDES DE MUNDIAIS
Pessoas como Blatter gostam de levar eventos esportivos para países corruptos, pois não há investigação sobre o dinheiro envolvido. O triste é que Blatter não quer fazer nada. Ele está feliz. O que acho que vai acontecer é por conta de muitos escândalos e pelo Mundial ser grande demais.

ÔNUS DE 2014
O Mundial saiu da África do Sul com uma reputação pior do que o da Alemanha. Não sabemos, mas poderemos ver um futebol fantástico aqui em 2014. Mas nem tudo será fantástico. O país gastou todo esse dinheiro com estádios que não estarão lotados nem durante nem depois da Copa. Novamente, um país foi iludido pela Fifa a fazer coisas que, se parassem para pensar, não fariam.

COPA DE 2022
Todos sabem que o Mundial de 2022 não será no Qatar. Não há como os clubes europeus e latino-americanos aceitarem isso. Você paga US$ 50 milhões para um par de pernas jogar pelo seu time e vai correr o risco de que elas sofram insolação? Vocês imaginam Manchester United, Chelsea e Liverpool permitindo que seus jogadores corram risco de insolação para a festinha de Blatter?

IMPRENSA BRASILEIRA
Acho que a imprensa tem um dever aqui. A imprensa diz que fala pelo povo, que o representa, o defende e luta por ele. Espero que alguns veículos brasileiros façam isso. Talvez a Globo seja a primeira, por ser próxima do Sr. Teixeira. A Globo não quer saber a verdade sobre seu amigo? A Globo deveria estar à frente da imprensa brasileira dizendo: “BBC, para quem temos de escrever?” Se a Globo não fizer isso, investigar Teixeira e a CBF, então temos de nos perguntar sobre a moralidade das pessoas que comandam a emissora. Deveriam querer saber a verdade.

Equipe Digoreste Runners na III Corrida Jonas Pinheiro MT


Domingo (12/06) foi realizada a Corrida Jonas Pinheiro, na cidade de Santo Antonio do Leverger, cidade próxima à Cuiabá. Uma manhã com muita neblina e o tempo bem agradável. A equipe Digoreste Runners esteve presente a mais este evento esportivo com seus atletas George e Mauro Vallim. Parabens a organização do evento

DICAS PARA SEU MICRO


Superdicas para seu micro não te deixar na mão quando você mais precisa

Limpeza, atualização e cuidados com a segurança são os segredos para evitar que o computador apresente problemas

Várias são as providências que você pode tomar para evitar que seu computador o deixe não mão no momento em que você precisa dele:

1) A primeira delas é manter o computador limpo em todos os sentidos. Faça uma faxina na parte interna do gabinete para acabar com a poeira que se acumula ao longo dos anos. Livre-se também de arquivos antigos e elementos inúteis instalados no disco e que deixam seu equipamento mais lento e sujeito a panes.

2) Para evitar aborrecimentos, outra boa medida é manter seu computador atualizado com as versões mais recentes do sistema operacional, das aplicações e também com patches de segurança.

3) Lembre-se especialmente de manter seu navegador atualizado com a versão mais recente. Fique atento também às extensões que você instala em seu navegador. Elas podem deixá-lo lento e instável.

4) Não abra mão dos programas antivírus e antispyware. Eles também são parceiros indispensáveis para que seu computador não fique atolado de pragas virtuais que podem comprometer o bom estado do seu computador.

5) Por fim, você também deve estar preparado para casos em que o problema for inevitável e deixar seu computador inativo por um período. Para isso, não se esqueça de fazer backup periodicamente, avaliando, inclusive, a possibilidade de fazê-lo na “nuvem” (serviços online gratuitos). Dessa forma, você poderá acessar seus dados remotamente, a partir de qualquer computador com conexão à internet.

Dez dicas para limpar seu computador

A maioria das pessoas posterga o momento de fazer aquela limpeza no computador. Sempre tem alguma coisa considerada importante e depois de horas em frente ao PC a vontade é sair correndo e não mais pensar em teclas. Se esse é o seu caso, aproveite essas dez dicas e pare de enrolar. Não deixe para depois o que você pode fazer agora.

1- Limpe arquivos temporários. Apesar do nome, nem sempre esses arquivos somem depois de um tempo. Às vezes eles acabam ficando. Para eliminá-los você pode fazer uma busca por arquivos do tipo .tmp. Aproveite e limpe também os arquivos em cachê, salvos para agilizar seu acesso a algumas páginas da internet, e também cookies.

2- Livre-se dos atalhos inúteis na área de trabalho. Você pode apagar o que não usa e organizar em pastas os atalhos que usa pouco, tudo manualmente. Outra opção é recorrer a um programa para fazer isso. Uma opção grátis é o Laucher.

3- Livre-se dos programas que já não usa. Eles ocupam espaço, tornam o computador mais lento e não servem para nada. Você pode excluir programas no gerenciador do Windows ou usar um programa. O Revo é uma boa opção porque, além de grátis, evita que arquivos e entradas do registro sobrem em seu PC.

4- Você também pode fazer uma limpeza nos Registros do Windows. Mas cuidado, essa é uma parte tão delicada de seu computador que a Microsoft até escondeu a porta. O ideal é usar um programa para te auxiliar, como o CCleaner.

5- Aproveite que você deu uma de Amélia e limpe também o histórico de navegação. Faça isso em todos os seus browsers.

6- Faça uma limpeza geral em seus arquivos. Organize tudo em pastas e selecione aquilo que pode ser gravado em DVD e guardado na estante. Por exemplo, as fotos do verão passado podem muito bem ficar em um CD.

7- Desfragmente seu disco rígido. Elimina fragmentos de dados do sistema de arquivos. Faz com que todo o arquivo seja armazenado de forma contínua e ordenada.

8- Exclua pontos de restauração e sombras desnecessários. Para isso, vá até limpeza de disco, na guia Mais Opções e clique em restauração do sistema e cópias de sombra.

9- Apague os arquivos que você baixou, mas não precisa. Aquela foto que um amigo te mandou para você ver alguém, o convite de uma balada etc. Vá em downloads e veja se você quer alguma daquelas coisas. Se não, borracha já!

10- Limpe a lixeira. Não adianta fazer uma faxina geral e não tirar o lixo.

Bullying – qual atitude tomar?


Desde pequenos, nem sempre com conotação maldosa, as crianças tendem a se tratar de acordo com suas características físicas e comportamentais. Para uma criança pequena, dizer que o coleguinha é gordinho, baixinho, birolho, aquela que bate, aquela que morde, ou outras características, servem apenas como forma de dar referência a um colega a partir de uma característica que eles perceberam ser peculiar a ele.

Cabe aos pais e professores, com igual responsabilidade, substituir as expressões que provocam constrangimento por outras quando possível, e conversar com a criança ou até com o grupo sobre determinadas características quando necessário. Não se deve esperar respeito das crianças umas com as outras, se as mesmas vivem em ambientes hostis, do tipo que maldizem os vizinhos e até familiares. A maior parte dos termos chulos que chegam em forma de ofensa nas salas de aula vieram dos pais, referendando pessoas com características semelhantes a que as crianças convivem.

Porém, mesmo com boa educação, não estamos livres de desentendimentos na escola ou até entre grupos de crianças e adolescentes, pois a ofensa moral faz parte das armas que o ser humano se utiliza para atacar e defender seus pontos de vista, mesmo com pessoas que aparentemente mantém bom relacionamento. Esse comportamento aparece naturalmente com a fala, e explica inclusive porque crianças pequenas mordem e batem nos seus colegas como forma de mostrar superioridade, poder e até para descarregar seus aborrecimentos. Ao adquirirem a linguagem, elas percebem que a ofensa verbal machuca tanto quanto a física.

Como pais, professores ou adultos responsáveis por um grupo de jovens ou crianças, pare agora e reflita: quantas vezes você interferiu em brigas dos seus filhos ou outras crianças, e dessas vezes quantas eram pequenas ofensas? Os adultos costumam castigar apenas quando as crianças se batem, mordem ou empurram, e normalmente aceitam as discussões que ouvem, mesmo com ofensas e palavrões.

As marcas de uma agressão física são externas e rapidamente percebidas, diferente da agressão moral, que nem sempre mostra suas conseqüências rapidamente. As pessoas que sofrem silenciosamente esse tipo de agressão são as mais propensas a desencadear as características do bullying, por isso é muito importante a criança e o adolescente sentirem-se à vontade e obterem atenção necessária para relatar suas vivências do dia-a-dia. São através desses relatos que os pais e professores podem perceber, ajudar e interferir se possível na mudança de comportamento não só do agressor, mas principalmente do agredido, que jamais deve silenciar qualquer ofensa recebida.

Fonte: http://vilamulher.terra.com.br/bullying-qual-atitude-tomar-8-1-55-620.html

A busca do sucesso


Ainda bem que ninguém diz mais (nem os locutores esportivos): “É preciso correr atrás do prejuízo”. Que bobagem essa! Quem quer prejuízo? O que queremos é a vitória, o sucesso. Devemos atrás, sim, mas do sucesso. O médico psicanalista Flávio Gikovate costuma dizer que não se deve ter medo do sucesso, e muito menos do fracasso. Seria a mesma coisa que ter medo de ser feliz. E exemplifica, dizendo que a seleção brasileira perdeu a copa do mundo no jogo contra a França porque os jogadores tiveram medo de ganhar – e de decepcionar. Parece um paradoxo, não é?

Vemos que muitas pessoas recuam ante projetos de lutar pelo sucesso, parece que é até por preguiça, mas não é – é por medo de fracassar. E, ainda, outras fogem da vitória por receio mesmo de se habilitar, e daí, não terem mais motivos para o ócio. Quem faz essa afirmação é o médico psicanalista Jorge Forbes, presidente do Instituto de Psicanálise Lacaniana e diretor de Psicanálise do Genoma Humano da USP. Em verdade, muito aprendemos nas derrotas, mais do que nas vitórias. As vitórias, é certo, abrem caminhos, mas não acrescentam, não enriquecem, ao passo que as derrotas têm o poder de se tirar delas experiências e motivos de reflexão.

Aplausos e medalhas o tempo apaga porque não se materializam. Muitas coisas boas acontecem por causa dos insucessos. Na busca do sucesso o medo de acertar é muitas vezes tão intenso quanto o de errar. A vitória pode ser até um anjo mau que mostra o caminho a ser percorrido sozinho após a conquista, mas cheio de responsabilidades, regras e obrigações. A casa paterna e os cuidados dos pais um dia acabam. As mesadas, lanches, cuidados e conselhos. Os pais morrem. Adoecem. Sempre chega a hora de pular do banco de trás e tomar o volante da vida.

Ainda não inventaram a receita do sucesso que não seja trabalho e estudo. Ambição, oportunidade e competência são alavancas que decidem o que o indivíduo vai ser na vida. Uma coisa é certa: quando mais se trabalha mais “sorte” se tem. A muitos jovens incomoda a busca do sucesso; é difícil mesmo; não possui fórmula pronta. Cada um tem a sua. E é perda de tempo ficar esperando que um plano B, imaginário ou não, se realize, ou que a “sorte grande” resolva suas vidas. Sucesso, assim, de graça, não vem, e se vier, é pior, porque o individuo continuará a ser ninguém. As derrotas chegam e são necessárias. É preciso correr riscos, ouvir vaias, errar, perder para crescer e aprender.

Esse medo de que fala Gikovate, de concorrer, de participar, de tentar, e de perder, é trágico. E não basta uma carteira assinada e esquecer que para manter o que foi conquistado exige luta constante. Patrões ou chefes não são inimigos. E quem não gosta deles, que deem um jeito então de serem chefes e patrões. É irritante esse medo. Em verdade é comodismo (eufemismo para não dizer preguiça) de cuidar da própria vida. Viver é sofrer mesmo. Quando mais o tempo passa mais a beleza arruína, mais problemas e responsabilidades aparecem. Chega o dia de os pais serem passageiros e os filhos condutores.

Lutar pelo sucesso não deve causar ansiedade nem deve ser buscado de maneira estabanada, – que mais prejudica do que ajuda. Mas ficar parado faz um mal danado – porque acostuma. O sucesso no amor, nos estudos, no prato bem feito, escrever um livro, uma tela, uma horta ou uma ponte, é o que vale. Mas tudo isto só vai acontecer para quem se movimenta, saindo do marasmo que é amigo da preguiça e do medo. Nem tanto aos céus nem tanto à terra. A obrigação do sucesso estressa? E o medo de fracasso e o de não fazer nada?

Publicado em 17/02/2011
Por Plínio Montagner é professor aposentado.
Fonte: http://www.tribunatp.com.br/modules/publisher/item.php?itemid=2107


PARABENS CUIABÁ


Minha Cuiabá

O melhor de Cuiabá são os CUIABANOS! Gente alegre, faceira e que recebe muito bem os “pau rodado” (gente que vem de fora).

Os costumes e o modo de viver em Cuiabá é uma coisa mágica, e que aqueles que não nasceram aqui, jamais vão entender, o porquê das pessoas que nascem aqui estar sempre bem humoradas.

O cuiabano pode ser definido como uma pessoa alegre e que encontra prazer nas pequenas coisas que este lado de mundo lhe ofereceu. Viver mais de dois séculos segregados e isolados do resto do país foi sofrido, por um lado foi ruim, mas por outro lado foi muito bom porque se preservou: a cultura, a culinária, o sotaque e o modo de viver.

O cuiabano do jogo de bozó, da pescaria de bagres, do pacu e piraputangas, das rodas de bate-papo para comer uma cabeça de boi assada, ou um pacu fritam como tira-gosto, fazer a “moagem” e colocar apelido em todo mundo com a maior naturalidade, e com isso facilitando a fazer amizades, e em poucos minutos de convivência já convida o “fulano” para tomar uma cerveja na sua casa.

Cuiabá dos antigos casarões e calçamento de pedras, dos banhos no rio Coxipó com suas águas límpidas, dos mangueirais, do pixé e o bolo de arroz e de todas outras maravilhas que esta terra maravilhosa nos proporciona.

Como é gratificante falar de você Cuiabá. É emocionante narrar esses momentos que só você soube nos proporcionar. É feliz quem como eu, tive o prazer de passar infância e juventude abrigada por você.

 

PARABENS CUIABÁ  –  292 ANOS

« Previous entries