Archive for dezembro, 2011

MIXTO: Veja onde comprar ingressos do Mixto para o Estadual/2012


Já estão a venda os carnês de ingressos para os jogos do Mixto em Cuiabá durante a primeira fase do Campeonato Mato-grossense 2012.

Cada carnê possui 11 ingressos e custa R$ 110,00.

O torcedor que adquirir o carnê nas Papelarias Rodarte e Ipiranga ganhará um adesivo do Mixto e um exemplar da Revista Oficial do clube.

A venda antecipada de ingressos tem como objetivo garantir renda para o custeio das

despesas do Campeonato.

Informações: Ramirez da Boca Suja (9280-9999)

Jogos em casa:

Mixto x Vila (25/01 às 21h)

– Mixto x Barra do Garças (01/02 às 20:10h no Dutrinha)

– Mixto x CRAC (05/02 às 18h no Dutrinha)

– Mixto x Palmeiras (12/02 às 18h no Dutrinha)

– Cuiabá x Mixto (15/02 às 21h no Dutrinha)

– Mixto x REC (26/02 às 18h no Dutrinha)

– Palmeiras x Mixto (29/02 às 20:10h no Dutrinha)

– Mixto x Sorriso (03/03 às 18h no Dutrinha)

– Mixto x União (18/03 às 15h no Dutrinha)

– Mixto x Luverdense (25/03 às 18h no Dutrinha)

– Mixto x Cuiabá (11/04 às 21h no Dutrinha)

Fonte: http://www.craquesdoradio.com.br/

O futebol mudou


Conheça algumas mudanças

 

1 – Quando as seleções eram melhores que os times – Antigamente confrontos entre seleções eram garantia de bons jogos. Com o futebol globalizado os selecionados perderam força e os grandes times contam com esquadrões formados por atletas de diferentes partes do mundo

2 – Quando só os craques usavam chuteiras coloridas – Houve tempo em que apenas os craques como Messi (foto) tinham chuteiras personalizadas. Hoje em dia, em qualquer pelada tem um ‘pereba’ que busca chamar ainda mais atenção para sua falta de habilidade com sua chuteira.

3 – Quando as bolas de futebol não eram de plástico – Houve um tempo em que uma bola como a Jabulani não teria vez nos campos de futebol. Contudo os avanços tecnológicos e a busca por deixar o jogo cada vez mais emocionante fizeram as bolas ficarem gradualmente piores nos últimos 30 anos

4 – Épocas em que a Inglaterra era berço de grandes treinadores – Houve um tempo em que os técnicos ingleses eram os melhores do mundo. Gente como George Raynor, que levou a Suécia para a final da Copa do Mundo de 1958, Bob Glendenning (Holanda), Sid Kimpton (França) e Jack Butler (Bélgica). Hoje a realidade é bem diferente e existem poucos técnicos ingleses treinando

5 – Quando a Fifa fazia bons filmes sobre as Copas do Mundo – Os filmes oficiais da Fifa antigamente eram muito disputados (como o da Copa 1982). Feitos em estilo documentário, com ângulos de câmera inéditos e narradores como Sean Connery e Michael Caine. Contudo, a partir da década de 1990, a entidade perdeu a mão para produzir esses filmes.

6 – Quando a França era a seleção queridinha da Europa e a Alemanha a mais odiada – Dos anos de 1960 até parte da década de 1990, a Alemanha faturou torneios importantes e era um dos times mais temidos e odiados da Europa. Na mesma época a França era uma das seleções mais populares. A coisa mudou de figura com a Alemanha passando a ter uma seleção multicultural

7 – Quando a Hungria, Áustria e Escócia tinham grandes times – Poucos sabem, mas a Hungria dos anos 1950 era um dos maiores times do mundo com lendas como Kocsis, Bozsik, Hidegkuti e Puskas. A Áustria também tinha grandes times com craques como Matthias Sindelar e a Escócia idem. No entanto, as três seleções agora contam apenas com jogadores medianos.

8 – Épocas em que a Espanha só latia e não mordia – A vitória história recente do futebol espanhol não apaga décadas de ostracismo. Antes da Euro 2008, o último título relevante da Fúria havia sido a Eurocopa de 1964. Como sabemos, a coisa mudou de figura e o país é o atual campeão mundial de futebol.

9 – Lembre-se: o Brasil tem goleiros e defesas fracas – A Seleção sempre teve tradição de grandes atacantes e defesas não tão fortes. Contudo, isso vem mudando com defensores como Daniel Alves, Aldair, Thiago Silva e Lúcio. No gol a safra brasileira também é incrível. Com goleiros como Taffarel, Marcos, Dida (quando ele era bom) e Julio Cesar o Brasil passou a ter cada vez mais segurança na retaguarda.

10 – Quando a Itália tinha meias-atacantes de primeiro nível mundial – Talvez só o Brasil produzisse mais que a Itália talentos nessa posição. Durante os anos 1960 e 1970, a Azzurra tinha craques como Sandro Mazzola e Gianni Rivera, nos anos 80 havia Giancarlo Antognoni e Giuseppe Giannini, da década de 90 Roberto Baggio e Gianfranco Zola, com Francesco Totti e Alessandro.

Estávamos acostumados com o futebol de verdade, com jogadas geniais e seleções que empolgava, hoje não se pode dizer a mesma coisa, não existe mais vontade em estarem nas “Seleções”, os jogadores querem é faturar nos grandes clubes, sem falar que as copas do mundo hoje se tem a impressão que é tudo cartas marcadas, combinação de resultados, o título se da pelo interesse político e comercial. E no Brasil? E o nosso futebol? Já esta chato de ver os brucutus maltratar a bola e manchar o espetáculo por este país. Se for para pagar para ver uma pelada com altas cifras em campo prefiro ficar jogando meu playstation.

Além dos 18


Não se sabe ao certo o motivo, mas seria a ascensão do Campeonato Brasileiro Sub-20 que teria motivado a redução da idade limite da Copa São Paulo em 2007. É difícil mensurar o impacto que essa canetada provocou na organização das categorias de base pelo Brasil, mas há gente de respeito que critica a medida. A começar por Ney Franco, o coordenador das seleções, o que exige uma reflexão.

Competição mais midiática do Brasil, a Copa São Paulo automaticamente acelerou a promoção de jovens ainda mais cedo. A exposição excessiva de jogadores recém-saídos dos juvenis também permitiu a empresários e familiares brigarem por profissionalizações precoces. Um verdadeiro efeito cascata que deu força à ideia de que não há mais na base um nome promissor de 19 ou 20 anos.

No último Footecon, com presença do Olheiros, a questão foi bastante discutida em um painel com as presenças de Mano Menezes (treinador da seleção), Rodrigo Caetano (diretor executivo do Vasco), Jorge Macedo (coordenador da base do Inter) e Marcelo Teixeira (gerente executivo do Fluminense). Teixeira foi o primeiro a debater a questão de forma direta, se lembrou do Campeonato Brasileiro Sub-23, extinto após uma só edição, e pediu mais cuidado com o fato.

O veto na Copa São Paulo provocou sérios problemas aos clubes grandes, já que atletas sub-19 e sub-20 não profissionalizados passaram a ter só dois torneios para jogar durante todo o ano: o Paulista da categoria e o Brasileiro Sub-20, em dezembro. Como manter atletas em ritmo competitivo ao longo da temporada se não há competição suficiente? Salvo em alguns clubes com time B, casos de Internacional e Palmeiras, o aproveitamento futuro passa a ficar prejudicado.

É importante lembrar que nem todos os jogadores estão aptos à profissionalização com 18 anos, tal qual comentou Osmar Loss, do Inter B, em sua palestra também no Footecon, sobre a transição base-profissional. Jovens com maturação lenta demoram mais a evoluir fisicamente, o que em alguns casos só vai acontecer aos 20 anos ou mais. O exemplo de Taison, que explodiu com 21 anos em 2009, é clássico nesse sentido.

Nunca é demais também relembrar o método de trabalho dos europeus, que raramente conduzem uma profissionalização de atleta com menos de 20 anos. Thiago Alcântara, há tempos visto como um extraclasse na base do Barcelona, só chegou de fato à primeira equipe agora, aos 21. Iniesta virou titular aos 24. É tolo pensar que não há chances para os jogadores que ainda não explodiram com 19 anos.

Em 2012, Ney Franco anuncia que irá reunir treinadores e coordenadores da base dos grandes clubes, e a discussão sobre o tratamento a jogadores com idade júnior precisa ser um ponto abordado. Retomar a Copa São Paulo para a categoria sub-20 seria um avanço tremendo.

Fonte: http://www.olheiros.net

A musculação só deve ser iniciada aos 8 anos


Pediatra alerta que exercícios sem supervisão profissional podem atrapalhar o crescimento

 

RIO – Quando se fala de fortalecimento muscular na infância, pais e professores têm muitas dúvidas. Quando se deve iniciar esse tipo de atividade? Quais são as indicações e contraindicações? O pediatra Ricardo Rego Barros diz que a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Academia Americana de Pediatria concordam que a musculação só pode ser iniciada a partir de 8 anos, e sob supervisão rigorosa de um profissional de educação física.

Segundo o pediatra, para não causar danos, o programa de musculação em crianças deve ser restrito a uma ou duas séries de oito a 15 repetições dos grandes grupos musculares, usando somente pesos livres; nada de máquinas. E não mais do que 20 minutos por dia, três vezes por semana.

— Um certo grau de desconforto é evidência da carga máxima. É importante frisar o aprendizado correto dos movimentos musculares em cada exercício, fato que possibilita o ganho de massa muscular — diz Barros, especialista em medicina desportiva.

A musculação pode atrapalhar o crescimento porque os exercícios hipertrofiam os músculos, alertam médicos. Mas esta restrição só vale para crianças que não estão crescendo dentro da curva prevista pelo pediatra. Cargas muito pesadas reduzem a elasticidade dos músculos e afetam as articulações.

Essa atividade é indicada para crianças que estão se desenvolvendo normalmente, e mesmo assim depois dos 8 anos.

— Se não forem supervisionados, os exercícios interferem no crescimento — diz o médico.

O processo de crescimento costuma estar finalizado por volta dos 14 anos, para as meninas, e 15, para os meninos, afirma Isabel Rey Madeira, uma das autoras do livro “Filhos, de 2 a 10 anos de idade”:

— Um problema da musculação é que começa aquela pressão da imagem: o rapaz musculoso e a menina sarada. Não é legal estimular isso.

Outro tema que costuma levantar dúvidas é a natação para crianças com asma.

— A asma costuma estar associada à rinite alérgica. Esta, sim, pode piorar com a atividade, devido ao choque da água com as narinas e à grande quantidade de cloro. Se a asma estiver controlada, não há problemas em cair na piscina. Ajuda, inclusive, a melhorar a capacidade respiratória. Um cuidado a se tomar é buscar piscinas em ambientes abertos, para evitar lesões nos brônquios — diz o pediatra Jayme Murahovschi.

 

Fonte: Confef – Conselho Federal de Educação Fisica

PENEIRADA DO MIXTO


Nos dias 15 e 16 de dezembro o Mixto Esporte Clube estará realizando peneira para garotos da Faixa etária: 14 a 17 anos, o valor da taxa de inscrição é de R$ 10,0 (pode ser pago no dia) Horário: às 08:30h ou às 14:30h no CT do Mixto que fica localizado no bairro Cophema, região do Coxipó.

Fonte: http://mixtonet.blogspot.com/   (aqui tem maiores informações)

Consultor coloca Arena Pantanal como canditada a ‘Mico da Copa’


Graças a “inexpressividade” do futebol local, Cuiabá é apontada como “a principal candidata a Mico da Copa”. Esta é a opinião de Jorge Hori, consultor do Sinaenco (Sindicato da Arquitetura e da Engenharia), para quem a Arena Pantanal muito provavelmente será um ‘Elefante Verde’ após o Mundial de 2014.

Artigo neste sentido, foi publicado por Hori no portal 2014.0rg.br.

LEIA NA ÍNTEGRA:

Concluídos os jogos da Copa na primeira quinzena de julho de2014, com uma pouca provável vitória brasileira (diante das condições de jogo das atuais seleções nacionais, mas ainda com esperanças) se iniciará a verificação dos espólios.

O estádios estarão prontos e alguns retomarão a sua rotina: Maracanã, Mineirão, Castelão, Fonte Nova, entre os estatais e o Beira-Rio e a Arena da Baixada, entre os privados. O do Recife e do Itaquerão iniciarão a sua campanha, após os eventuais testes pré-Copa. Os estádios de Brasília, Manaus e Cuiabá terão que mostrar a que vieram, sem ter qualquer time dentro da série principal do Brasileirão. Natal ainda poderá contar com o ABC e o América, se forem bem nesses dois próximos anos.

Esse será o principal legado esportivo, com modernos estádios parcialmente desocupados, durante o segundo semestre de 2014, podendo receber públicos maiores se o Brasileirão de 2014 repetir o de 2011, com grande equilíbrio. O “Itaquerão” e o Maracanã poderão elevar a média, dependendo da política de preços dos ingressos.

Mas será cedo para caracterizar uma eventual “manada de elefantes brancos”.

Brasília não tem potencial futebolístico mas tem uma população com poder aquisitivo e interesse em sediar grandes shows internacionais. O Estádio Nacional de Brasília (Mané Garrincha) será uma arena voltada para shows onde, eventualmente, se jogará futebol.

Será um processo natural que Brasília, assim como outras cidades, atraiam clubes de São Paulo e do Rio de Janeiro para mandarem algum dos seus jogos nos seus modernos estádios, com possibilidade de casa cheia. Brasília pela sua posição logística tem grande possibilidade para tal.

Manaus também não tem potencial futebolístico e será mais difícil atrair os clubes, em função das distâncias, mas conta com o interesse de artistas internacionais em passar pela Amazônia, aproveitando para realizar um dos seus shows. Mas não serão muitos.

Cuiabá é o principal candidato a “mico da Copa 2014″. Não tem potencial futebolístico, apesar do Pantanal. Esse não tem o mesmo poder de atração da Amazônia.

Mas por ser o principal centro urbano do moderno agronegócio conta com uma população de renda alta. Ainda que relativamente pequena suficiente para lotar a arena durante todo o ano, desde que tenha eventos atraentes. Poderá ser o principal centro de eventos da música sertaneja.

Por outro lado, o futebol se transformou num grande negócio, que requer altos investimentos. Mas significa que com recursos pode-se montar um time competitivo para em quatro anos chegar à série A do Brasileirão. Dependerá de empresários ousados e competentes. Não basta ter os recursos. Há experiência fracassadas nessa tentativa empresarial. Alguns conseguiram, mas não se sustentaram.

O ponto crítico está na profissionalização dos gestores. Esses precisam ter a possibilidade de ganhar tanto ou mais que os jogadores e o técnico. Não de forma fixa, mas por resultados. O que deveria prevalecer para todo o time.

O Mato Grosso tem a possibilidade de experimentar um novo modelo. Se o fizer poderá dar uma boa ocupação ao novo estádio.

Se não conseguir terá que conviver com um “elefante verde” tão ou mais ocioso e custoso que o branco.

Fonte: http://www.craquesdoradio.com.br

FBI investiga supostas irregularidades em eleições de sedes da Copa


Segundo informações do jornal inglês Daily Telegraph, a FBI, polícia federal americana, investiga supostas irregularidades nas candidaturas aos Mundiais de 2018 e 2022, conduzidas pela Fifa. As eleições, realizadas em dezembro de 2010, foram vencidas por Rússia e Catar, respectivamente.

O jornal diz que o FBI tem “evidências substanciais” de que a caixa de e-mails da candidatura americana, derrotada no pleito para 2022, foi vítima de “hackers”. A polícia americana acredita que o mesmo ocorreu com a Inglaterra e solicitou informações e acesso aos dados da candidatura do país.

Outro foco da investigação do FBI seria a eleição à presidência da Fifa, vencida por Joseph Blatter em junho deste ano. O processo foi marcado pela expulsão do candidato opositor Mohamed bin Hamman por suposto suborno a dirigentes do Caribe. O FBI acredita que o dinheiro teria passado pelos Estados Unidos.

Fonte: http://esportes.terra.com.br/futebol/noticias/0,,OI5508963-EI1832,00-FBI%20investiga%20supostas%20irregularidades%20em%20eleicoes%20de%20sedes%20da%20Copa.html

 

PORQUE NÃO ACABAM LOGO COM ESSA “FESTA” DE COPA DO MUNDO, OS RESULTADOS DOS JOGOS SEMPRE SÃO COMBINADOS MESMO

IMPORTANTE: Anvisa constata agrotóxicos irregulares em alimentos


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) constatou que os produtores rurais têm usado agrotóxicos não autorizados no plantio de determinados alimentos. Em 2010, a Vigilâncias Sanitária avaliou 2.488 amostras de alimentos, sendo que 28% apresentaram resultado insatisfatório para a presença de resíduos dos produtos. Deste total, 605 (24,3%) amostras estavam contaminadas com agrotóxicos não autorizados.

Quando o uso de um agrotóxico é autorizado no país, os órgãos responsáveis por essa liberação, indicam para que tipo de plantação ele é adequado e em que quantidade pode ser aplicado.

Em 42 amostras (1,7%), o nível de agrotóxico estava acima do permitido. Em 37% dos lotes avaliados, não foram detectados resíduos de agrotóxicos.

“Os resultados insatisfatórios devido à utilização de agrotóxicos não autorizados resultam de dois tipos de irregularidades, seja porque foi aplicado um agrotóxico não autorizado para aquela cultura, mas cujo [produto] está registrado no Brasil e com uso permitido para outras culturas, ou seja, porque foi aplicado um agrotóxico banido do Brasil ou que nunca teve registro no país, logo, sem uso permitido em nenhuma cultura”, conclui o relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos (Para).

O pimentão lidera a lista dos alimentos com grande número de amostras contaminadas por agrotóxico. Em quase 92% das amostras foram identificados problemas. Em seguida, aparecem o morango e o pepino, com 63% e 57% das amostras com avaliação ruim.

Em uma amostra de pimentão, foram encontrados sete tipos diferentes de agrotóxicos irregulares. A batata foi o único alimento sem nenhum caso de contaminação nas 145 amostras analisadas.

A agência reguladora constatou também que, das 684 amostras consideradas insatisfatórias, 208 (30%) tinham resíduos de produtos que estão sendo revistos pela Vigilância Sanitária ou serão banidos do país, como é o caso do endossulfan e do metamidófos, que serão proibidos no Brasil nos próximos dois anos.

Em 2010, foram avaliados resíduos de agrotóxicos em 18 tipos de alimentos em 25 estados e no Distrito Federal. São Paulo não participou do programa.

A lista com os dez alimentos com mais amostras contaminadas com resíduos de agrotóxicos é a seguinte:

1) pimentão
2) morango
3) pepino
4) cenoura
5) alface
6) abacaxi
7) beterraba
8) couve
9) mamão
10) tomate

Fonte: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=3&idnot=71432

IMPORTANTE: Prevenção da Dengue


A prevenção é a única arma contra a doença.

A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Projetos de Lei em Goiás valorizam a Educação Física


Um projeto realmente importante e que outros estados deveriam seguir, principalmente Mato Grosso que não dão valor a estes profissionais nem a prática esportiva real

——————-

Um Projeto de Lei e outro projeto, para alterar uma lei já existente, estão tramitando na Assembleia Legislativa de Goiás, podendo, se aprovados, contribuir para uma valorização ainda maior da Educação Física. O Projeto de Lei 364/2011 garantirá vagas para o profissional de Educação Física em todo concurso na área de saúde realizado pelo estado de Goiás, instituindo a obrigatoriedade do profissional de Educação Física nos hospitais e unidades de saúde estaduais, especialmente nos Núcleos de Apoio à Saúde de Família.

O outro projeto propõe alterar a Lei Estadual 12.881/1996, para que reconheça as academias e similares como entidades da área de saúde. A principal justificativa é que o próprio Conselho Nacional de Saúde já reconhece a profissão de Educação Física como sendo dessa área desde 1997, pela Resolução CNE 218. As duas propostas são do deputado estadual Ademir Menezes (na foto, com o presidente do CREF14/GO-TO, Rubens dos Santos Silva).

Fonte: Boletim nº 81 Confef  – Conselho Federal de Educação Fisica