Archive for setembro, 2011

Copa Coca Cola tem rodada decisiva neste domingo


Neste próximo dia 02/10 (domingo), acontecem as duas etapas eliminatórias dos times da Copa Coca-Cola 2011, num só dia.

As quartas de final e Semi Final ocorrerão todas neste próximo domingo, fazendo com que os times classificados joguem 2 (duas) vezes, as quartas de final serão realizadas no período da manhã e a Semi Final do período da tarde. O inicio dos jogos esta marcado para apartir das 7:30 hs do domingo e vai até as 19:50 da noite.

Jogo da Equipe do Uirapuru

CPA  02/10 – Quartas de Final:   UIRAPURU X  APCEF – Profeta – 08:45hs

PAIS QUEREM SEUS FILHOS – JOGADORES DE FUTEBOL


Dia desses, depois de um jogo num torneio após ter presenciado algumas cenas que me chamaram atenção, aonde pais brigavam com seu filho dentro de campo e cobrava dos técnicos que seu filho jogasse daí eu pude refletir um pouco em relação a esses jovens que estão procurando uma oportunidade no futebol guiado pela vontade paterna. Então resolvi escrever algumas linhas em relação a esta situação.

Nos dias de hoje com a dimensão que o futebol atingiu em termos financeiros tornou-se a profissão mais apetecível para muitos pais que veem nessa profissão o futuro dos filhos e consequentemente o seu também, obvio.

Basta ver as imensas academias de futebol que nascem em todo lado onde os pais fazem enorme sacrifícios para manterem os seus filhos esperando no futuro que sejam Figos, Rui Costa, Cristiano Ronaldo, Messis entre outros vários craques  ou muitas vezes eles próprios tinham esse sonho de serem estrelas do futebol e não conseguiram e agora pressionam os filhos para que aconteça, muitas pais vivem uma segunda vida na pele dos filhos.

Quem conhece a realidade do futebol sabe que ao patamar mais alto só chega um grupo muito restrito de atletas, e a dura realidade é que depois de enormes sacrifícios normalmente quando se chega ao profissional ou até antes a grande maioria dos jogadores são dispensados e ficam-se pelas segundas e terceiras divisões e regionais e muita vez ouve uma parte que foi esquecida… Os estudos!

A prática do desporto é importante, mas deve ser os pequenos a decidirem que desporto quer praticar, e sabemos que muitas vezes são os pais que pressionam os filhos de modo inconcebível para a competição, confundem motivação com o seu próprio desejo de vitoria ou muitas vezes complexa de superioridade mal resolvida.

Quantas vezes vimos nas arquibancadas pais a gritarem com os filhos, a darem-lhe ordens diferentes das que o treinador dá levando a que a criança se sinta pressionada sem sabe qual das ordens cumprirem.

È importante não esquecer que o atleta não esta ainda na posse das suas capacidades maturacionais completas e que muitos se pudessem escolhiam outros desportos ou atividades.

Hoje paga-se para jogar futebol, mas as maiores estrelas continuam a vir do futebol de rua onde impera a fantasia, a liberdade tática, onde existe a paixão que muitas vezes é tirada pela formação em competição, sem oportunidades.

O importante é os jovens sentirem prazer em jogar futebol, é importante os pais não pressionarem os filhos a jogar futebol no sentido de virem a ser craques, a verdade é que nem todos chegarão ao topo, mas todos no futuro serão homens inseridos na sociedade.

A Copa e a rua


Ainda sobre a Copa de 2014

 

Preocupam a todos as muitas questões envolvendo a realização, no próximo ano, da Copa do Mundo de Futebol em nosso País. O repertório é grande: a construção dos estádios, a reforma dos aeroportos, os investimentos em mobilidade urbana nas cidades-sede dos jogos, a questão da transparência no uso do volume considerável de recursos públicos que estão sendo movimentados para o evento, etc., etc.

Mas uma questão em especial tem me preocupado. Como será tratada a cultura das ruas das nossas cidades que sediarão os jogos da Copa?

Sim, a cultura das ruas, os muitos e diversos atores e suas práticas sócio-culturais que costumam povoar as ruas das nossas cidades e que constituem um traço marcante e diferenciador da vida brasileira.

Pode parecer uma questão de pouca importância diante de assuntos envolvendo investimentos vultosos e transparência no uso de recursos públicos. Mas não é.

É que a tradição brasileira neste quesito é triste. A regra tem sido, quase sempre, retirar das ruas o que possa parecer, aos governantes de plantão, sinais de pobreza, de barbárie – afinal, “pega mal” para o País, ainda mais agora que virou emergente, apresentar aos olhos do mundo, no momento em que todos os olhos estarão voltados para nós, esta parte do nosso povo que insiste em ser brasileiro e que nesta aventura cotidiana tem como único território a sua disposição as ruas.

Um exemplo? Quando a Rainha da Dinamarca visitou Salvador em 1999, a polícia baiana resolveu fazer uma “limpeza” na cidade para receber a soberana. Prendeu, sem ordem judicial, por alguns dias, vários homossexuais e travestis – se soube do acontecido, Margareth II deve ter achado a ação policial no mínimo estranha. Claro, a Dinamarca foi um dos primeiros países do mundo a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A preocupação, aqui, não é só minha. Nesta direção manifestaram-se três alemães, consultores de cidades-sedes que participaram das Copas de 2006 e 2010 e que estiveram recentemente no Brasil.

E foram claros quanto a esta questão. Sugeriram que o País deve colocar sua cultura local acima dos interesses imperiais da FIFA, mesmo que contrariando os acordos comerciais da toda-poderosa do futebol mundial.

Cito a declaração de um dos consultores: “A Copa precisa de aceitação popular para ser bem-sucedida na cidade. Para isso, a população não pode ser excluída. Tem que participar do evento… senão a Copa não dá certo”.

Lembraram, os alemães, como exemplo, a Copa de 2006, quando a Alemanha jogou pesado contra as imposições da FIFA. Dentre os embates, destacaram a questão da comercialização de cervejas em Dortmund, uma das cidades-sede. A FIFA exigia que só fosse comercializada a marca Budweiser. Os organizadores locais endureceram e a FIFA foi obrigada a aceitar a venda da cerveja Dortmund, fabricada na cidade.

Diferentemente da Alemanha, em 2006, na Copa da África do Sul, em 2010, prevaleceram as imposições da FIFA. Mas, e aqui? Como vai ser? Como irão tratar esta questão?

Baiano, devo por as barbas de molho! É que corremos o risco de ver riscados da paisagem do estádio o “baleiro”, de cesta cheia de “jujubas, chocolates e “queimados”, e o sorveteiro, a quem devemos o prazer de um duplo de mangaba e côco, gentes e coisas que aprendemos a amar em tarde de jogo, desde os tempos da velha Fonte Nova.

Fonte: Terra Magazine – http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5383449-EI17867,00-A+Copa+e+a+rua.html

Sai da tabela da fase quartas de finais da Copa Coca Cola


A Copa Coca Cola divulgou hoje a tabela das quartas de finais do campeonato

Vejam como fica os jogos do  final de semana (clique na imagem)

UIRAPURU VENCE E SEGUE PARA PRÓXIMA FASE DA COPA COCA COLA


Neste sábado o time do Uirapuru conseguiu mais uma vitória na Copa Coca Cola, desta vez carimbando vaga para próxima fase. Mesmo ao meio de uma pequena confusão ou mal entendido promovido pelo coordenador da Copa Coca Cola em Cuiabá no inicio da partida, mostrando-se muito nervoso e grosseiro não queria permitir o goleiro do Uirapuru jogar sem o colete destinado aos goleiros, nem a diretoria nem o publico presente compreendia a situação, porém o coordenador da copa se esqueceu de que foi a própria Coca Cola quem forneceu todo o material, percebendo o grande equivoco que estava cometendo pediu então que o juiz da partida desse seguimento ao jogo, e não pediu desculpa nem ao time nem ao publico.

Quanta gafe………

Mas o importante é que o Uirapuru venceu pelo placar de 1 x 0 com gol de André, em um jogo bastante equilibrado.

Agora o Uirapuru jogara as quartas de finais no próximo fim de semana, segue na Copa Coca Cola.

Atraso e falta de controle ameaçam legado da Copa


O Governo Federal, definitivamente, perdeu o controle do andamento das obras ligadas à Copa do Mundo de 2014, que será realizada em Cuiabá e que tem Cuiabá como uma das 12 sedes.

Pelo menos, é o que revela uma reportagem especial da Folha de S. Paulo, neste domingo (25). A conclusão é de que esse fato não apenas coloca em risco o próprio evento, mas o legado de infraestrutura que ele poderia deixar para o país.

O jornal revela que o último balanço sobre os projetos da Copa, divulgado há uma semana, já está desatualizado.

Quase quatro anos após o Brasil ser escolhido como sede da Copa de 2014, o governo perdeu o controle do andamento das obras ligadas ao evento e pôs em risco o legado de infraestrutura que ele poderia deixar para o país.

Divulgado há 11 dias, o balanço mais recente do governo sobre os projetos da Copa já está desatualizado. Prazos indicados no documento não batem com informações das cidades-sede, e outros soam irreais diante dos problemas que as obras têm enfrentado.

Autoridades que acompanham os preparativos para a Copa já falam em organizar os dias de jogos com a estrutura hoje disponível, sem contar com as novas obras.

A promessa do governo de entregar nove estádios no final de 2012 também já caiu por terra, com novos atrasos.

No capítulo transportes, há problemas como o do monotrilho do eixo norte/leste de Manaus.  Além de sofrer questionamentos da CGU (Controladoria-Geral da União), a obra pode estourar o prazo.

A previsão do governo do Amazonas é de início das obras em novembro de 2011 e conclusão em maio de 2014, dois meses antes da Copa. O governo reconheceu que pode não concluí-la a tempo.

“Obras grandes como essa sempre podem estourar o prazo. Mas [se o prazo for estourado] será concluído mesmo depois”, afirmou o coordenador para Copa 2014 de Manaus, Miguel Capobiango.

Em Recife, o secretário estadual da Copa, Ricardo Leitão, prevê o começo da execução de quatro projetos para o início de 2012. O governo federal, para novembro.

O discurso das cidades-sede é o de que a maioria das obras não são imprescindíveis para a realização dos jogos. “Se houver dificuldade, focamos só na obra do acesso ao estádio”, disse Leitão.

Representantes das seis cidades ouvidas pela Folha admitiram que podem trabalhar com feriados em dias de jogos para atenuar problemas.

“Podemos criar um ponto facultativo para os funcionários públicos que trabalham naquela região do Beira-Rio”, contou o secretário de mobilidade urbana de Porto Alegre, Vanderlei Cappellari.

São Paulo fala em feriado na abertura da Copa. E em reduzir o fluxo de pessoas em metrô e trem para não atrapalhar o público dos jogos.
Nos aeroportos, o Brasil já perdeu a chance de deixar um legado, de acordo com os especialistas. “Agora estamos correndo atrás da demanda”, afirmou o professor Elton Fernandes, da Coppe/UFRJ.

Dos 13 terminais da Copa, 7 devem ter a capacidade ampliada com instalações provisórias, os puxadinhos. “Eles têm um custo muito inferior e dão conta do recado”, diz Jaime Parreira, diretor de engenharia da Infraero.

Não falta dinheiro federal. Até agora, são R$ 6,5 bilhões para aeroportos, R$ 8 bilhões para mobilidade urbana e R$ 400 milhões por estádio.

Ainda assim, das 49 obras de mobilidade urbana da Copa, só 9 começaram.

Oito dos 13 aeroportos iniciaram reformas. E pelo menos cinco estádios vão estourar o prazo inicial fixado pela Fifa.

A situação gera incômodo na entidade. “Estamos preocupados com qualquer atraso, por qualquer razão”, afirmou o secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, por meio de sua assessoria.

Por contrato, a Fifa pode tirar a Copa do Brasil na ausência de melhorias no sistema de transporte. O histórico da entidade sugere que é improvável que isso ocorra, mas o discurso dos dirigentes da Fifa certamente mudou.

Em 2007, relatório da Fifa concluiu que a infraestrutura do país era adequada e só viu problemas em Cuiabá e Natal. Quatro anos depois, a infraestrutura disponível para os jogos na maioria das cidades-sede é a mesma.

Fonte: Midia News – http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=14&idnot=64126

Vida de jogador de futebol


Bom para uma reflexão sobre nossas decisões futuras….

Para ser jogador de futebol e chegar a uma equipe profissional, muitas coisas são necessárias, além daquelas que são imaginadas

Nossas escolhas têm, assim como as escolhas de qualquer outra pessoa, 50% de chances de estarem certas e 50% de chances de estarem erradas.

Claro, cada um de nós se baseia em uma infinidade de conhecimentos e experiências anteriores para tomar decisões, e quando decidimos algo, fazemos com a expectativa de que, ao “consultar” esses conhecimentos e experiências nos nossos “registros”, tal decisão seja a melhor.

O fato é que algumas vezes realmente fazemos boas escolhas e outras tantas, não. A cada acerto ou erro, cada um de nós aprende algo, e esse aprendizado é consequência também daquilo que já havíamos aprendido antes.

Isso quer dizer, em outras palavras, que cada um de nós pode enxergar a mesma situação de forma pouco parecida, de acordo com a maneira que aprendemos a ver o mundo (e essa visão se transforma conforme vamos vivendo novas experiências e acumulando novos conhecimentos).

No futebol, ao longo desses últimos anos, tenho tido contato com vários jogadores profissionais. Alguns começando, alguns terminando a carreira, e outros tantos no auge da profissão.

É comum que aqueles que estão terminando a carreira tenham algum tipo de conselho para dar aos que estão começando. E não são conselhos quaisquer; são conselhos daquele tipo: “siga esse caminho que estou indicando, porque eu não segui e me arrependo”.

Ser jogador de futebol e chegar a uma equipe profissional requer muitas coisas além daquelas que são imaginadas por aqueles que almejam “chegar lá”, ou que estão “lá”, mas não querem ser “mais um” no meio da multidão.

Essas “muitas coisas” (além daquelas imaginadas) envolvem uma série de decisões e escolhas que levarão ao mau, bom, pior, ou, melhor caminho.

O problema é que, no caso do futebol, muitas dessas decisões sofrem interferência de empresários, que se tornam “tutores” (tomam à frente de pais mal instruídos), que quando incompetentes ou mal intencionados condenam ao fracasso adultos jogadores que um dia foram garotos sonhadores cheios de talentos.

No futebol, assim como na vida, de uma maneira geral, uma escolha errada é capaz de desencadear uma série de eventos que podem nos levar a caminhos que não faziam, no início, parte do nosso mapa guia.

Mas no futebol, como, habitualmente, desde as categorias de base, jogadores acabam sendo tutelados por pessoas que se acostumam a tomar decisões por eles: fazer uma escolha errada significa ser passageiro de um ônibus onde o motorista decide para onde virar a direção, de acordo com a sua visão de mundo – o jogador (o passageiro) não sabe que rumo o ônibus vai tomar, e o motorista (o tutor) não faz ideia de onde quer chegar.

Então, se você é pai e seu filho quer ser jogador de futebol, abra bem os olhos! E se está lendo esse texto, não há desculpas; você faz parte do grupo de pessoas que tem acesso a internet, a informação. Por isso, pesquise, leia, ajude.

Se já é jogador, e está começando, está no auge ou no final da carreira, acredite no que vou dizer: se você não se preparar para a vida fora do campo de jogo, e deixar que outras pessoas decidam sua vida por você, no final, possivelmente você não vai estar no lugar que gostaria de estar, mas sim naquele lugar que fizeram você acreditar que era o melhor.

Somos responsáveis em nossas vidas tanto por aquilo que fazemos, quanto por aquilo que deixamos de fazer… Então, decida você mesmo.

Fonte: Universidade do Futebol – http://www.universidadedofutebol.com.br/Jornal/Colunas/Detalhe.aspx?id=11086

Veja os times ja classificado na fase regional da Copa Coca Cola


Conheça os times ja classificado (campeão) para a próxima fase da Copa Coca Cola (Nacional)

Estes foram os classificados na fase regional

Uirapuru faz jogo decisivo no próximo sábado


Dependendo apenas dos próprios resultados para se classificar para a próxima fase da Copa Coca Cola, a equipe do Uirapuru vai a campo no sábado, 24 de setembro, em busca da uma simples vitória contra o time do Domingos Sávio.

Ambas as equipes seguem com mesmo número de vitórias, porém o time do Domingos Sávio leva vantagem no saldo de gol, portanto em caso de empate classifica o adversário.

O jogo esta marcado para as 08:45 horas no Estádio Helio de Oliveira que fica no bairro Mapim em Várzea Grande.

Campeonato Sul-Americano de Voleibol Masculino de 2011


Sul-Americano de Volei Masculino 2011 – Cuiabá/MT

O próximo adversário do Brasil será o Chile, nesta terça-feira  (20.09), às 21h30h, com transmissão ao vivo do canal Sportv. Já o Uruguai enfrentará o Paraguai no segundo jogo da rodada, às 20h. O primeiro será às 17h30, entre Argentina e Colômbia.

TABELA

(Horários de Brasília)

Dia 19.09 (SEGUNDA-FEIRA)

16h30 – Argentina x Chile

19h – Brasil x Uruguai – SPORTV

21h30 – Venezuela x Colômbia

Dia 20.09 (TERÇA-FEIRA)

17h30 – Argentina x Colômbia

20h – Uruguai x Paraguai

22h30 – Brasil x Chile – SPORTV

Dia 21.09 (QUARTA-FEIRA)

17h30 – Venezuela x Chile

20h – Argentina x Uruguai

22h30 – Brasil x Paraguai – SPORTV

Dia 22.09 (QUINTA-FEIRA)

17h30 – Chile x Paraguai

20h – Argentina x Venezuela

22h30 – Brasil x Colômbia – SPORTV

Dia 23.09 (SEXTA-FEIRA)

14h30 – Venezuela x Uruguai

17h – Colômbia x Chile

19h30 – Argentina x Paraguai

Dia 24.09 (SÁBADO)

12h – Brasil x Venezuela – SPORTV

14h30 – Colômbia x Paraguai

17h – Chile x Uruguai

Dia 25.09 (DOMINGO)

Colômbia x Uruguai

Venezuela x Paraguai

12h – Brasil x Argentina – SPORTV

Fonte: Esportes\MT
 

« Previous entries