Archive for dezembro, 2010

REFLEXÃO: NATAL


NATAL….

Difícil, pelo menos para mim, entender e administrar este período de fim de ano. Confesso-lhes que nada me deixa incomodado como a desigualdade entre as várias camadas sociais, uns com muito e outros com muito pouco, percebida sobremaneira nesta época.

É sim, tempo de se confraternizar, tempo de se perdoar e tempo de se oferecer o perdão. É sim, tempo de o pai perdoar seu filho, do filho perdoar o pai, da mãe ser referenciada como o coração latente do lar, dos amigos se abraçarem, e acima de tudo, de se dar graças e de se agradecer à Deus por mais um ano de vida e de trabalho.

É Cara, muito pouca gente tem se lembrado de Você! Muito pouca gente se lembra que este período do ano começou a ser festivo por causa da data do Seu nascimento. É por aí Cara, ninguém se esquece da lista de presentes ou de quanto está custando o kilo do bacalhau. É mais fácil se esquecer de Você. Sempre falta na ceia, aquela que Você nos ensinou a fazer, alguns segundos para lhe agradecer por tudo que recebemos e pelo pouco que lhe ofertamos. Pode Cara nessa hora faltar o espírito e o legado a nós passado pos Vós, que com o respeito, com o amor e com fraternidade tudo se constrói, só não pode faltar o vinho, as cervejas e os refrigerantes.

Pode sim Cara, faltar o beijo de carinho entre pais e filhos, entre marido e mulher, entre irmãos e irmãs, entre amigos e amigas, mas não pode faltar o panetone.

Pode sim Cara, faltar a luz que Você nos deixou, aquela que nos momentos difíceis das nossas vidas ilumina nossas estradas muitas vezes esburacadas, mas que sempre nos leva ao porto seguro, só não podem faltar as castanhas e as nozes.

Pode sim Cara, faltar o calor do seu manto nas nossas cabeças, manto este que por inúmeras vezes aqueceu nosso corpo e nossos corações, só não pode faltar a rabanada.

Viu Cara quanta coisa vai encontrar nas nossas mesas? Viu a fartura das nossas ceias? Viu como sabemos construir o momento que só Vós soubestes nos ensinar?

É, por isso que vós sois o Filho de Deus.

É por saber entender essa festa de fim de ano, sempre Lhe colocando em segundo plano, que és o Mestre dos Mestres.

Sendo Vós, o Mestre dos Mestres e diferentemente de mim que não sei entender este período do ano, rogamos, todos nós que colocamos o vinho, as cervejas, as castanhas, e os presentes na sua frente, sua infinita compreensão.

Claro, Papai Noel faz sim muita falta se dentro do seu saco também viesse muitos agradecimentos por tudo que o Senhor nos dá. Que viesse no seu saco para lhe entregar nossos pedidos de misericórdia e sua companhia por toda eternidade.

Pelo seu aniversario cantamos os parabéns suplicando-Lhe que nos compreenda e nunca nos abandone.

Parabéns à Você! Você sim é o CARA!

EDUARDO PÓVOAS

http://www.diariodecuiaba.com.br/

APROVEITO ESTE TEXTO PARA DESEJAR A TODOS UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO REPLETO DE REALIZAÇÕES

ABRAÇOS A TODOS

MAURO VALLIM

Brasil, o país do futebol? Só se for pelo ‘joystick’


Mais jovens estão trocando a prática de esportes pelos jogos de videogame, diz pesquisa. E o Brasil tem os piores índices

‘Não gosto de praticar esportes, prefiro jogar no videogame’. A confissão do pequeno Vincenzo Lima, 6 anos, feita entre um lance e outro de uma partida de futebol virtual, reflete realidade diagnosticada pelo Instituto de Pesquisa Sulamericano Kiddos, a pedido do canal de TV por assinatura Nickelodeon, em 7 países da América Latina: crianças e adolescentes estão praticando menos atividades físicas e virando ‘cyberesportistas’. O Brasil é o que tem os piores índices.

O dado preocupa autoridades, pais e educadores. O Rio é a 2ª capital no ranking da obesidade entre estudantes, segundo dados do IBGE de 2009, que apontam 8,9% dos alunos cariocas como obesos, atrás apenas dos de Porto Alegre. “Passei a controlar o tempo do videogame. Antes das férias, só deixava ele jogar sextas, sábados e domingos. Agora, estou mais flexível.

No próximo ano, Vincenzo estudará num colégio com referência esportiva. Espero despertar interesse nele, já que nem playground funciona”, reclama a mãe Marianne Lima, 31, que matriculou o filho em várias atividades físicas, sem sucesso.

A esperança de Marianne se alinha ao que pais informaram na pesquisa: a escola é o lugar onde as crianças mais praticam esportes. O índice brasileiro, no entanto, é o menor da América Latina. Entre os responsáveis, 85% disseram que é nos colégios que os filhos desenvolvem práticas esportivas. Na Argentina, por exemplo, esse percentual pula para 96%.

No ensino público, a ausência de quadras poliesportivas agrava o problema. Das 2.528 unidades municipais e estaduais do Rio, 858 não têm espaços exclusivos para prática de esportes, dado nada animador para uma cidade que sediará a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016.

“A regularidade de exercícios físicos é uma necessidade primordial para o desenvolvimento saudável das crianças e uma base para melhorar a aprendizagem nas demais disciplinas”, opina a secretária municipal de Educação, Claudia Costin, lembrando convênios firmados com clubes e vilas olímpicas para oferecer atividades esportivas a alunos de escolas sem quadras.

De acordo com a consulta feita pelo Instituto Kiddos, a bicicleta também perde espaço na rotina de crianças e adolescentes. Somente 41% dos jovens entrevistados disseram pedalar. Alunos do Colégio Franco-Brasileiro, uma das poucas unidades particulares do Rio que participa de competições intercolegiais, ficaram surpresos com o resultado da pesquisa.

“Meus pais sempre me incentivaram a fazer esporte. Minha mãe é professora de Educação Física. Eu me sinto inútil sem exercício”, afirma Rômulo Braga, 15. “Falta incentivo por parte dos responsáveis”, completa Vítor Lobo, 14. Segundo relatório do Instituto Kiddos, apenas 34% dos pais entrevistados praticam esportes ao lado dos filhos com frequência.

Pouco tempo para exercícios físicos

As principais escolas municipais, estaduais e particulares do Rio destinam, em média, 1h30 semanal para a prática de atividades físicas. No entanto, profissionais da área defendem que alunos entre 10 e 17 anos necessitam de 3h para obtenção de melhores resultados.

“O ideal seriam três aulas de uma hora, cada, por semana. Em termos físicos, é melhor que a atividade seja distribuída em dias diferentes, o que permite melhores resultados na parte aeróbica”, explica o professor de Educação Física e proprietário da Academia Estação Pilates, em Ipanema, Enéas Oliveira. “Quando estamos ensinando regras para os alunos mais novos, o aprendizado acaba sendo mais rápido, devido à repetição”.
A professora Kátia Cristina Faria, 41, também defende a ampliação da carga horária esportiva nas escolas. Segundo ela, muitas vezes os alunos mais sedentários ficam cansados com apenas 5 minutos de atividades.“Às vezes fico impressionada com as condições físicas de alguns adolescentes”, revela.

Interesse por ecologia é mínimo

A pesquisa encomendada pelo Nickelodeon abordou também questões sobre meio ambiente, concluindo que crianças brasileiras são as que menos se preocupam com questões relacionadas a sustentabilidade num comparativo com os outros países da América Latina.

As mais interessadas pelo tema não souberam aprofundar a discussão, mas afirmaram ter atitudes como não jogar lixo na rua e não demorar mais que 15 minutos no banho. “Muita gente não se importa porque não verá resultados em vida. Mas filhos ou netos poderão sofrer com as atitudes”, opinou Samuel Stoliar, 8, do Franco-Brasileiro.

Entre as mães consultadas pelo Instituto Qualibest, que também participou da pesquisa, 94% acham importante o filho ter aulas sobre o tema. Já 98% disseram ensinar a criança a não jogar lixo na rua. Uma em cada duas mães afirmaram ter passado algum ensinamento aos pequenos sobre questões ecológicas.

Déficit

As secretarias municipal e estadual de Educação negam déficit de profissionais de Educação Física nas 2.528 escolas do Rio. Nas unidades da prefeitura, são 3.347 professores, enquanto os colégios do estado contam com 4.545. “Realizamos recente concurso e sanamos um déficit histórico na rede municipal. Agora, estamos promovendo capacitações periódicas”, conta Claudia Costin. Em 2010, o estado inaugurou 9 unidades com quadras poliesportivas, enquanto a prefeitura pretende entregar mais 10 até o fim do ano.

Fonte: http://odia.terra.com.br/portal

Quando se vê…


O poema de nome Seiscentos e sessenta e seis, de Mário Quintana diz assim:
 
A vida é uns deveres que trouxemos para fazer em casa.
 
Quando se vê, já são seis horas: há tempo…
 
Quando se vê, já é sexta-feira…
 
Quando se vê, passaram 60 anos!
 
Agora, é tarde demais para ser reprovado…
 
E se me dessem “um dia”, uma outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
 
Seguia sempre em frente… E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
 
* * *
 
Ao se findar um ano, prestes a iniciar um novo, é quando se ouvem frases comuns: Como passou rápido! ou Nossa, nem vi o ano passar… ou ainda: Lá se foi mais um ano…
 
Muitas destas frases revelam uma espécie de falta de controle sobre o tempo em nossas vidas.
 
Algumas são pronunciadas com pesar, como se o ano tivesse passado por nós, sem percebermos, sem fazer nada significativo nesse período de vida.
 
A vida está tão corrida! – dizem outros, revelando que o tempo passou por eles, ao invés deles terem passado pelo tempo.
 
E quando se vê, passaram 60 anos! – diz o poeta.
 
* * *
 
Será que estamos passando pela vida, ou é a vida que está passando por nós, sem percebermos, sem interagirmos, sem deixarmos nossa marca?
 
Será que às vezes não estamos fazendo coisas demais, sem eleger quais realmente são as importantes para nosso Espírito?
 
Será que durante o ano conseguimos identificar cada uma das estações, e vivê-las de forma intensa?
 
Não viramos escravos do relógio, do excesso de trabalho, do excesso de preocupação, e de mais disso e daquilo?
 
É de se pensar… É de parar para pensar um pouco nestas questões.
 
Ao final de mais um dos ciclos da vida, faz-se fundamental uma pausa, avaliar, planejar, e principalmente, curtir o momento.
 
Os ciclos são necessários para isso. Se não parássemos nunca, em breve a vida, a saúde, a cabeça, como se diz, parava por nós.
 
Não somos máquinas, embora alguns costumes do mundo moderno pareçam querer nos tratar assim.
 
Não somos marionetes nas mãos do tempo, nas mãos da profissão, nas mãos do consumismo avassalador.
 
Somos Espíritos que estamos aqui, neste planeta, para nos desenvolvermos, para conquistarmos perfeição moral e intelectual, para aprendermos a amar.
 
Somos viajores de muitas vidas, de muitas oportunidades, mas também de chances únicas, de momentos únicos, que devem ser vividos com a intensidade da luz das estrelas novas.
 
Somos a razão de tudo, e por isso mesmo precisamos exigir mais respeito de nós mesmos.
 
Precisamos exigir do corpo um pouco mais de alma, e de tudo um pouco mais de calma – lembrando outra bela poesia.
 
A vida não para, certamente. Por isso somos nós que temos que parar um pouco.
 
Recomeçar é sempre preciso. Faz-nos falta o novo. E nada melhor do que um novo eu para recomeçar com todas as forças.
 
É tempo de recomeçar…·. 

Autor:
Redação do Momento Espírita com base em poema do livro Esconderijos do tempo, de Mário Quintana, ed. Globo.

Uirapuru chega a mais uma final


Esta praticamente tudo pronto para grande final do Campeonato Jardim Paulista de futebol 2010, promovido pela Associação do Bairro Jardim Paulista, a dúvida esta na definição da data, tudo indica que será mesmo na véspera das festividades Natalina, ou seja, no dia 24/12. A competição que teve inicio em Novembro e envolveu 10 (dez) equipes chega ao fim com a grande final envolvendo as equipes do Uirapuru e LCB. A expectativa é que um grande número de torcedores compareça para prestigiar o jogo. A equipe do Uirapuru poderá fechar o ano com 100% de aproveitamento e com mais um título, a partir daí começar a pensar na competição nacional que começa dia 13/01/2011 no Paraná.

Fôlego: É possível aumentar a capacidade respiratória?


“A prática regular de atividade física, por exemplo, é benéfica para a saúde respiratória, mas deve ser realizada de maneira correta para não trazer danos. Acompanhamento médico, temperatura e umidade do ar adequadas e o respeito aos limites do corpo são procedimentos que ajudam a aumentar essa capacidade”

É comum ouvir falar que uma pessoa tem mais fôlego que outra, e aí surgem algumas dúvidas: como podemos aumentar nossa capacidade respiratória? Quais as influências e os hábitos que comprometem nossa saúde? Quais os cuidados que devemos tomar para garantir o bom funcionamento dos pulmões?

O fôlego está relacionado diretamente à sensação de falta de ar relatada pelas pessoas especialmente ao realizar atividades físicas. Aquelas que possuem um bom condicionamento físico, que praticam exercícios regularmente e possuem boa massa muscular terão mais fôlego para as atividades. Consequentemente, as pessoas que têm alguma doença pulmonar ou cardíaca, alterações musculares ou são sedentárias terão menos fôlego.

Existem, no entanto, alguns fatores que influenciam nossa capacidade respiratória e podem prejudicar o fôlego.

“O tabagismo e a poluição funcionam como agentes agressores do pulmão. Essas substâncias, quando aspiradas, provocam inflamações”, explica o médico pneumologista Oliver Augusto Nascimento, diretor de Assuntos Científicos da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

A boa notícia é que existem meios para aumentar a capacidade pulmonar. A prática regular de atividade física, por exemplo, é benéfica para a saúde respiratória, mas deve ser realizada de maneira correta para não trazer danos. Acompanhamento médico, temperatura e umidade do ar adequadas e o respeito aos limites do corpo são algumas dicas dadas pelo médico.

Síndrome do regime

“Muitas pessoas com a chegada do final de ano apresentam o que pode ser chamado de síndrome do regime. Querem fazer tudo de uma vez e esquecem de fazer as avaliações necessárias, colocando a saúde em risco”, ressalta.

Além das atividades físicas, as doenças respiratórias também têm relação direta com o fôlego. Doenças como a asma e a DPOC são apontadas como as principais, mas a hipertensão pulmonar também pode causar problemas. Todas elas precisam ser tratadas e receber acompanhamento de um médico pneumologista.

Os maus hábitos também contribuem, e muito, para agravar e até desencadear problemas na saúde respiratória. O principal ainda é o cigarro, mas existem outros hábitos que podem prejudicar o pulmão.

“A preocupação atual é com o *narguilé, que vem sendo muito utilizado pelos jovens. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já lançou um documento alertando para os danos à saúde desse hábito”, afirma dr. Oliver.

Enfim, a saúde pulmonar depende de alguns cuidados muito importantes. Em caso de sintomas respiratórios como tosse, catarro ou falta de ar, um médico deve ser procurado para fazer o diagnóstico e dar início ao tratamento, se necessário.

O diagnóstico precoce diminui a progressão de doenças e melhora a qualidade de vida e o fôlego do paciente.

*Narguilé é um cachimbo de água utilizado para fumar, muitas vezes são utilizadas bebidas alcoólicas no lugar da água.

fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar

UIRAPURU CAMPEÃO DA LIBERTADORES DE BAIRRO DE CUIABA 2010


Uirapuru/MT é o campeão do Torneio 2º Copa Libertadores de Bairro de Cuiabá 2010. Com campanha irretocável 100% de aproveitamente a equipe mais uma vez confirmou sua superiodidade diante dos seus adversários mostrando o importante trabalho realizado pelo Técnico Heverton. A equipe contou tambem com suporte da comissão técnica durante todo o evento. PARABENS A TODOS

NOTICIAS – UIRAPURU


Com 100% de aproveitamento a equipe do Uirapuru/MT segue firme em dois campeonatos. Na Copa Libertadores da Liga Jardim Universitária a equipe disputa o título e na Copa Jardim Paulista briga por uma vaga na final, os jogos serão realizados neste final de semana.

Dez dicas para usar um pendrive sem infectar e ser infectado


Não há como negar. Os pendrives realmente facilitam a vida de quem usa vários computadores e precisa ter seus arquivos sempre à mão. Mas por serem tão práticos, fáceis de usar e levar, acabam sendo uma fonte de contaminação e disseminação de vírus em computadores. Saiba quais cuidados tomar para não infectar o seu PC e dos demais.

1- Toda vez que você plugar um pendrive em sua máquina, faça seu antivírus buscar ameaças. A verificação não demora e é essencial para a segurança do PC.
2- Evite usar seu pendrive em máquinas públicas, como feiras e eventos.
3- Evite usar seu pendrive em lan houses.
4- Quando for inevitável usar o pendrive em uma máquina pública, passe o antivírus no disco removível assim que possível.
5- Já existem soluções de antivírus especialmente para pendrives. Se você é um usuário voraz de internet e pluga seu dispositivo em diversos computadores, esse tipo de programa é fortemente recomendado.
6- Crie uma pasta na raiz de seu pendrive chamada autorun.inf. Isso evitará que programas de mesmo nome sejam salvos em seu dispositivo, anulando o potencial risco de vários vírus autoexecutáveis.
7- Alguns vírus são inteligentes e tiram do caminho aquilo que os atrapalha. Se sua pasta autorun.inf sumir, é hora de verificar a existência de vírus.
8- Não salve em seu pendrive arquivos cujo autor você desconhece.
9- Cuidado ao fazer downloads direto para o pendrive. Avalie se o site é confiável.
10- Tenha um bom antivírus em seu computador e o mantenha atualizado. Assim, se seu pendrive for infectado, o computador barrará a ameaça.

Fonte: Portal Terra http://internetsegura.terra.com.br/site/interna.aspx?id_conteudo=299