Archive for setembro, 2009

Campanha mostra importância da educação física nas escolas


educacao-fisica-infantil-1

 

Da Agência Brasil – 2009

  
 Brasília – O Conselho Federal de Educação Física (Confef) lançou hoje (13), em Brasília, a campanha nacional Educação Física Escolar – Plantando Cultura, Cidadania e Saúde. Segundo o coordenador do conselho, Walfrido Amaral, um dos principais objetivos é alertar os pais sobre a importância de exigir professores qualificados para a atividade, que, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), é obrigatória nas escolas.

A campanha foi lançada durante o seminário A Educação Física e Esporte Escolar: da Formação à Competição, promovido pela Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados. O encontro reúne, até as 18h, representantes de entidades, parlamentares, alunos e professores.

“Hoje todos falam sobre a importância da educação física escolar, mas ainda é preciso,  efetivamente, que seja dada importância a ela”, disse Amaral. Ele lembrou que muitas escolas brasileiras, principalmente públicas, não dispõem de equipamentos e espaço adequados à prática da educação física.

O coordenador destacou que as aulas também devem abrir espaço para a discussão de temas como boa alimentação e importância de atividade física regular.

Segundo o presidente da Comissão de Turismo e Desporto, deputado Afonso Hamm (PP-RS), a educação física ajuda a formar cidadãos conscientes de direitos e deveres. “Ela é fundamental no currículo dos alunos, quanto mais cedo, melhor. Ela é muito importante para a formação do caráter e da cidadania de uma pessoa.”

De acordo com a LDB, a atividade deve estar integrada à proposta pedagógica da escola, ajustando-se às faixas etárias e às condições dos estudantes. “Não me preocupo se vão sair atletas ou não, mas sim se esse aluno vai virar um cidadão pleno. O esporte é um instrumento para o desenvolvimento, que cria oportunidades para que os estudantes aprendam a respeitar as diferenças e construir soluções coletivas”, disse o vice-presidente da Confef, João Batista Tojal.

 http://www.agenciabrasil.gov.br

Os Perigos Das Bebidas Energéticas Em Crianças E Adolescentes


bebidas_energeticas

Publicado em: 09-06-2009
DRA. ANA ZENI

 

Muitos pais e educadores vem se deparando com o nítido aumento da ocorrência do uso de bebidas energéticas por crianças e adolescentes, constatando que, na faixa etária entre 9 a 14 anos sua utilização está cada vez mais popular. Normalmente os adolescentes fazem uso da bebida estimulante fora de casa, o que acarreta em falta de conhecimento dos responsáveis. A verdade é que, mesmo não sendo uma bebida alcoólica, devemos nos conscientizar de que o seu uso abusivo causa malefícios à saúde dos pequenos e que é nosso dever orientá-los quanto a estes possíveis efeitos.
Para adultos acostumados a tomar muito café ou Coca-Cola, é provável que os energéticos não causem nenhum efeito colateral. Mas, dependendo da sensibilidade ou do hábito de cada um, o consumo desse tipo de bebida pode levar à taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), tonturas ou insônia, justamente pelo efeito de excitação causado pela cafeína.
O principal intuito das bebidas energéticas é estimular o cérebro, para que este entre em um estado de alerta, até bem pouco tempo atrás eram utilizadas apenas por pessoas que desejavam aumentar sua capacidade mental, muitas vezes devido ao cansaço e a necessidade de concluir trabalhos ou estudos, ou ainda para o aumento da capacidade física, seja para prática de exercícios físicos ou aumento do pique para jornadas noturnas, hábito muito comum entre os jovens, que na maioria das vezes ainda faz uma mistura perigosa com bebidas alcoólicas. De acordo com um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) o energético mascara o gosto do álcool, o que colabora para uma maior ingestão de doses de bebidas alcoólicas e promove uma falsa sensação de bem estar, onde a pessoa se sente mais “ligada” e muitas vezes se considerando inclusive capaz de dirigir, concomitantemente a isto temos o fato de ser uma bebida hipertônica, o que por sua vez aumenta a sede.
Além disso, podemos citar os malefícios à saúde que as bebidas energéticas podem apresentar se utilizadas por um organismo em franco desenvolvimento e com intensa ação hormonal como é o caso dos adolescentes; estes efeitos vão desde alterações no fígado até enxaquecas e problemas gástricos, incluindo ainda alterações da pressão arterial e insônia. Deve-se alertar ainda aos adultos que mantém o hábito de fazer uso dos energéticos, para que não pratiquem exercícios físicos quando ingerirem a mesma, pelo fato desta bebida já acelerar os batimentos cardíacos através da ação de seus componentes. Por isso se faz necessário que haja moderação no uso desse tipo de bebida, para que mais tarde não ocorram prejuízos à saúde.

DRA. ANA ZENI: Formada em Medicina pela Universidade Oeste Paulista, a Dra. Ana Carolina Zeni, possui diversos cursos de Pós-graduação em Medicina Preventiva e Estética no Brasil e no exterior. – Membro da Internacional Academy of Cosmetic Surgery – Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina – Membro do Capítulo Brasileiro de Medicina e Cirurgia Estética – Membro da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia Plástica Estética – Membro da International Association of Aesthetic Medicine – Membro da Associação Médica Brasileira de Oxidologia – Membro da Sociedade Ibero-Americana de Carboxiterapia – Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética – Membro do Colégio Brasileiro de Medicina Antienvelhecimento e Longevidade

Município de JACIARA – MATO GROSSO


Jaciara

O município de JACIARA é um dos mais aprazíveis do sudeste mato-grossense. Dotado de um clima tropical quente e sub-úmido, com 4 meses de seca, de maio a agosto, sua precipitação anual é de 2.200 mm, com maior intensidade no período compreendido entre os meses de dezembro a fevereiro.

Estas características permitem que o município proporcione aos seus visitantes banhos de cachoeira, vôos panorâmicos por sobre seus vales durante o dia e um lindo pôr-do-sol no cair da tarde.

No período de maior precipitação, o clima fica mais ameno, com registro de temperaturas entre 22ºC e 25ºC, atraindo turistas para as cachoeiras e diversos clubes de águas thermais e águas quentes localizados a 10 km do centro da cidade, no município vizinho de Juscimeira.
DADOS DE JACIARA

Fundação: 1958
Altitude: 367 m
População: 28.000 habitantes (estimativa)
Área Total: 1.664,5 km²
Dens. Demográfica: 13,83 hab/km²
CEP: 78820-000
DDD: 66
Distância da capital: 127 km

O município é abençoado por Deus, pois em suas terras a mãe Natureza fez obras maravilhosas. As riquezas naturais se constituem no maior patrimônio do município. Cachoeiras, grutas, quedas d´água, fauna, flora, enfim, uma abundância de belezas que encanta a todos. Cidade propicia para esportes radicais

Os oito grandes motivos que levam o jovem a praticar esportes


por Renato Miranda
 

Os motivos pelos quais os jovens praticam esportes são muitos. Ao observar o comportamento daqueles que procuram a prática de esportes, chega-se à conclusão que fama, sucesso e ficar rico não são os motivos fundamentais. Esses motivos decorrem originalmente da formação que alguns jovens recebem de seus pais e treinadores, além disso, a dimensão que o esporte competitivo atingiu na sociedade contribui para tais motivações, que são reforçadas pela mídia que naturalmente influencia o comportamento dos jovens.

Ao não considerar os motivos acima como fundamentais para jovens aderirem e permanecerem no esporte competitivo, quais motivos então, poder-se-ia considerar? Depois de uma vasta pesquisa bibliográfica sobre o assunto destacamos os seguintes motivos:

1º) Aprender e aprimorar habilidades específicas

O esporte proporciona a possibilidade de aprendizado e aprimoramento de movimentos específicos que agradam por inteiro os jovens, pois, são ricos de desafios, tensão, alegria e envolvimento.

2º) Estar bem fisicamente e com saúde

A manifestação do comportamento do jovem, para que o mesmo tenha oportunidade de se autoexpressar; mostrar aos outros suas ideias, atitudes e estilo só é possível com saúde e a intensidade e isso depende fundamentalmente de seu condicionamento físico.

3º) Desafios da competição e participação

Desafiar e participar de algo intenso é naturalmente motivante para os jovens e o esporte revela tais eventos como sua característica elementar. Assim sendo, para que o esporte atraia os jovens basta que o mesmo seja disponibilizado.

4º) Estar com amigos e em equipe

O sentimento de pertencer a um grupo considerado importante pelo jovem e estar com amigos é um motivo marcante na vida de um jovem. O esporte é um dos meios que proporciona esse sentir. É com orgulho e satisfação que um jovem demonstra ao ser selecionado para fazer parte da equipe de sua escola ou universidade, por exemplo.

5º) Reconhecimento de seu valor

Os jovens gostam de mostrar como são bons em algo. Como na música, e outras atividades artísticas, talvez seja no esporte um dos principais lócus de demonstração de seu valor como pessoa que encanta e “faz a diferença”.

6º) Liberação de energia

O esporte favorece a liberação de energia psíquica e física dos jovens de maneira saudável e produtiva já que sua prática faz bem para a saúde. O esporte auxilia a regulação de tensões, ameniza preocupações e dinamiza o relaxamento, ajuda a expansão da energia muscular e orgânica e interfere positivamente no metabolismo. O jovem identifica rapidamente no esporte um “espaço” para a manifestação de sua energia. Isso é simbolizado pela frase: “O fulano é outro quando está em quadra”. Mas na verdade ele é “aquilo” mesmo, ele está “liberando” o que ele realmente é.

7º) Autorrealização

A autorrealização é uma das necessidades universais do ser humano. Ao vislumbrar o esporte como possibilidade de realização própria o jovem se enche de entusiasmo e determinação. Com a infinidade de opções esportivas, esse (o esporte) um dos meios mais promissores e atraentes para os jovens se realizarem.

8º) O prazer do esporte (sentir-se bem)

Ao sentir prazer no primeiro contato com determinado esporte, o jovem investe cada vez mais energia na prática esportiva e o esporte passa a fazer parte de sua vida. É como uma fonte de prazer a atrair cada vez mais.

Essa coletânea de motivos mobiliza os jovens em todo o mundo a praticar esporte, cabe aos pais e profissionais, orientá-los para que o mesmo possa perenemente cumprir o seu papel na formação dos jovens.

 

Renato Miranda
é graduado em Educação Física (UFJF) e possui mestrado e doutorado em Psicologia do Esporte com especializações: Escola Superior de Esporte Alemã e Instituto de Cultura Física de Moscou
, prof. de Ed. Física da UFJF, Secretário de Esporte e Lazer da Prefeitura de Juiz de Fora.

Frágil e delicado batimento


 
Stress, excesso de trabalho, fumo e outros hábitos antes masculinos entram na vida das mulheres e as tornam cada vez mais vulneráveis aos problemas do coraçãoOs primeiros sintomas do infarto apareceram durante uma palestra sobre turismo para um auditório lotado de executivos. Aos 38 anos, Yanick Valtier Franco sentia fortes dores nas costas e uma azia inacreditável. Bem-sucedida profissionalmente, saudável, magra, esportista e faixa preta de caratê, ela jamais imaginou a possibilidade de ter um infarto durante uma viagem de negócios. E nem sonhava com a colocação de duas pontes de safena e uma mamária para restabelecer a circulação cardíaca. “Só sobrevivi porque tinha um bom condicionamento físico e a resistência de uma camponesa”, avalia Yanick. Depois do infarto, ela trocou a vida badalada de superexecutiva por um cotidiano regrado, mais calmo, com tempo reservado para o filho, a leitura e o descanso. “Aprendi a ouvir meu corpo e mudei minha mente”, diz a executiva, atualmente supervisora-geral de Novos Negócios do Canal Shoptime. Ela também tirou a carne e a manteiga do prato, acrescentando legumes no vapor e um pouquinho de vinho, além de despedir-se de uma vez do uísque. Caminha todos os dias e continua no caratê. “Meu coração parou nove segundos e eu só pensava no que me ligava à vida, como o meu filho. Percebi que sou mortal e, por isso, valorizo as coisas que me dão prazer”, diz Yanick.

Inimigos principaisCOLESTEROL ALTO
Existem dois tipos de colesterol: o HDL (colesterol bom) e o LDL (colesterol ruim). O excesso deste último leva ao estreitamento e ao entupimento das artérias coronárias
FUMO
A nicotina e o monóxido de carbono – agentes liberados pelo cigarro – diminuem o calibre dos vasos sanguíneos, dificultando a passagem de sangue PRESSÃO ALTA
A relação entre os níveis de pressão arterial e a incidência de doenças coronárias é diretamente proporcional. Quanto mais alta a pressão, maior é o risco do aparecimento da doença SEDENTARISMO
Juntamente com o tabagismo e a hipertensão arterial, a inatividade física é um dos mais importantes fatores de risco para as doenças cardiovasculares OBESIDADE
Perder peso pode ser uma medida de muita importância para o controle de problemas como diabetes e colesterol elevado, intimamente relacionados ao desenvolvimento e à progressão de doenças cardiovasculares STRESS
O stress, ou tensão emocional, é um mal que atinge muitas mulheres. Para as que possuem problemas cardíacos ou pressão alta, o stress pode agravar a doença e dificultar o tratamento

Mulheres na mira
A executiva Yanick enfartou há nove anos, quando ainda era menor a atenção dada ao coração da mulher. Hoje é diferente. Não faltam estudos sobre as especificidades da condição feminina e sua relação com os males do coração. E as estatísticas revelam que a preocupação é mais do que justificada. Levantamento do Ministério da Saúde mostra que, em 1990, a proporção de mortalidade por infarto entre mulheres era de 25 por 100 mil habitantes. Em 1997, o índice subiu para 42 por 100 mil. Na base do aumento de males cardíacos entre as mulheres estão mudanças no estilo de vida, com jornadas de trabalho excessivas, alta competitividade, tensão emocional, alimentação inadequada, colesterol alto, hipertensão, sedentarismo e tabagismo, justamente os principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

Anticoncepcionais
A esses problemas, somou-se a ingestão das pílulas anticoncepcionais. Sabe-se que o estrogênio semi-sintético das pílulas pode levar ao crescimento da incidência de formação de coágulos nas artérias e veias, o que pode interromper a irrigação do músculo cardíaco, levando-o ao infarto (a redução na dose deste hormônio nas pílulas, ocorrida nos últimos 30 anos, no entanto, baixou significativamente esse risco). Não bastasse, no período que antecede a menopausa, chamado de climatério, os riscos para o coração se elevam. É fácil entender por quê. O hormônio estrogênio fabricado pelo próprio corpo da mulher é um grande aliado do coração porque estimula a dilatação dos vasos, facilitando o fluxo sanguíneo, mesmo quando já existe o depósito de placas de gordura estreitando seu calibre (arteriosclerose). “Após a menopausa, a proteção hormonal oferecida pelo estrógeno produzido pelos ovários diminui, aumentando as chances de doenças cardio-vasculares entre as mulheres”, explica o cardiologista Antônio de Pádua Mansur, coordenador do Núcleo de Estudos do Coração da Mulher (Nepcom), do Instituto do Coração, em São Paulo.
A vida sedentária que muitas mulheres levam hoje também conta muito. A praticidade do carro, o telefone celular e a agenda sempre lotada acabam impedindo as mulheres de adotar atividades em que possam exercitar o corpo. É uma péssima novidade na vida feminina, historicamente acostumada a fazer muito exercício, mesmo que fosse enquanto lavava roupa ou levava os filhos para um passeio. E, por outro lado, a ciência confirma cada vez mais a importância do exercício. Para se ter uma idéia, um estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde Americana, nos Estados Unidos, mostrou que caminhar diariamente 30 minutos reduz em 40% as chances de ataques cardíacos para homens e mulheres. “Se duas mulheres com a mesma idade e problema de saúde forem internadas, a sedentária ficará no hospital o dobro do tempo daquela que pratica alguma atividade física regular”, assegura o médico Nabil Ghorayeb, diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Como evitar as doenças cardiovasculares

  • Consulte um médico e controle permanentemente as taxas de seu colesterol
  • Pare de fumar e procure ajuda médica se não conseguir
  • Consulte um médico para avaliar e controlar periodicamente a pressão arterial
  • Mantenha uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras e fibras. Evite o consumo de alimentos frios ou gordurosos. O consumo de sal e de bebidas alcoólicas também deve ser evitado. Controle o peso
  • Irritabilidade, insônia e queda de rendimento podem ser um alerta
  • Controlar melhor as emoções, dividir tarefas e responsabilidades, bem como planejar melhor suas atividades, ajudam você a prevenir o stress

Prevenção
A melhor maneira de prevenir as doenças cardiovasculares é cultivar hábitos que melhorem a saúde (leia quadro abaixo). As mulheres que possuem casos de doenças cardiovasculares na família devem começar a fazer exames de colesterol e pressão a partir da adolescência. O mesmo vale para aquelas que não possuem problemas na família, mas apresentam fatores de risco pessoais, como tabagismo e sedentarismo. Nem sempre, porém, a prevenção é suficiente para evitar ataques cardíacos. Nesses casos, podem entrar em ação drogas potentes e já disponíveis no mercado, desenvolvidas para combater os fatores associados às doenças cardiovasculares como as vastatinas (contra o colesterol) e anti-hipertensivos (contra a pressão alta). Outra aliada da prevenção é a aspirina (ácido acetilsalicílico). “Estudos mostram que o uso diário de aspirina por tempo prolongado reduz em cerca de 30% a 40% as chances de novos episódios agudos de angina, infarto e morte súbita”, garante o cardiologista Antônio Mansur.

Intervenção
Entre as medidas de intervenção pós-infarto estão a angioplastia, que consiste no desentupimento mecânico das artérias coronárias com o uso de trombolíticos – substâncias que dissolvem os coágulos do coração. “Para diminuir as chances de reincidência da formação de coágulos, a angioplastia ganhou o reforço do Stent – uma prótese de aço inoxidável que alarga a artéria entupida e reduz as chances de que ela seja obstruída novamente”, explica o cardiologista Expedito Ribeiro. O mais importante, no entanto, é que as mulheres se conscientizem de que somente com a mudança de hábitos poderão deixar o coração bater mais feliz.

 

Fonte: http://www.terra.com.br/istoe/biblioteca/saudemulher/coracao.htm

Kaka ja treinou na escolinha do Uirapuru em Cuiabá/MT – VOCE SABIA?


kaka Ricardo Izecson dos Santos Leite nasceu dia 22 de abril de 1982 em Brasília,DF, e aos 4 anos ganhou um irmão, Rodrigo e se mudou para Cuiabá,MT. Com 7 anos fez escolinha do Uirapuru e logo em seguida mudou-se para São Paulo, onde morou em Perdizes.

Entrevista concedida por Kaka a TV da Band

Criança não deve usar calçado com salto


por Juliana Prestes Mancuso
“Não importa se as fábricas de calçados infantis tentam atrair as crianças com sapatos cada vez mais com cara dos adultos. O salto alto deve ser evitado” Ao caminhar, o ciclo da marcha (o andar) começa no toque do calcanhar no chão e só termina quando o mesmo calcanhar voltar a tocar o solo, completando assim uma passada.

Sendo o passo definido pelo toque inicial de um dos calcanhares, até o toque do calcanhar com outro pé. O padrão de marcha maduro ocorre aos três anos de idade.

O desenvolvimento do calcanhar está completo próximo aos cinco anos de idade. A marcha da criança aproxima-se muito à do adulto aos sete anos de idade e poucas diferenças são encontradas. A estrutura óssea do pé, porém, não está completa nessa idade, pois a criança continuará crescendo até mais ou menos os 12 anos de idade para os meninos e 10 anos de idade para as meninas.

Quando uma criança está em fase de desenvolvimento, os calçados não devem ter salto e a sola deve ser reta e firme o suficiente para dar estabilidade, pois o aumento da altura do calcanhar provoca modificações no padrão de caminhar. Ou seja, quanto mais alto o salto, menor a participação do antepé no caminhar.

Por que as crianças não devem usar salto alto

Atualmente as crianças estão sendo induzidas a utilizar calçado com salto cada vez mais cedo.

As consequências são:

– O pé da criança sofre sobrecarga na região anterior (frente) do pé, o que em longo prazo pode gerar alterações dolorosas e/ou adaptativas levando a criança a não conseguir andar sem salto devido ao encurtamento da musculatura da panturrilha (‘batata’ da perna) e a fadiga da musculatura;

– Essa sobrecarga nos músculos pode prejudicar a estabilidade do pé e causar entorses ou quedas.

– A maior ocorrência da fadiga muscular causada por essa sobrecarga leva à diminuição da força muscular na perna, o que pode reduzir a amplitude de movimentos normais do pé, e isso provavelmente acarretará prejuízos na fase de crescimento da criança.

– O salto alto pode trazer problemas na coluna porque o esqueleto da criança é imaturo. Ou seja, ainda não está totalmente formado e com isso ocasionará graves alterações posturais e deformação principalmente na coluna. Nas alterações posturais podemos incluir as hiperlordoses lombar e cervical (aumento da curva natural da coluna lombar e cervical), encurtamento da musculatura da panturrilha e diminuição da força dessa musculatura, podendo inclusive gerar uma atrofia que não poderá ser reposta na idade adulta. Essa criança quando crescer, ou um adulto que usou salto alto a vida toda, poderá ter uma atrofia muscular que muitas vezes será irreversível e dolorosa para o alongamento, sem permitir uma marcha descalça, exceto na ponta dos pés.

Qual deve ser a altura ideal do salto?

Para manter o conforto e reduzir riscos de lesões escolha sapatos com elevação do salto por volta de 2 cm.

O salto baixo assemelha-se à atividade da marcha descalça, mas não produz, de fato, essa mesma marcha.

Não importa se as fábricas de calçados infantis tentam atrair as crianças com sapatos cada vez mais com cara dos adultos. O importante mesmo é garantir um futuro bom e confortável para a coluna da criança.

Juliana Prestes Mancuso
é fisioterapeuta

A importância da música aos jovens


musica

Publicado pelo Jornal da Manhã
22/09/2008

Está mais do que comprovada a importância da música para o desenvolvimento das crianças e adolescentes. Ferramenta de ensino valiosa, pode ser utilizada desde cedo na sala de aula e em atividades extracurriculares, sem contar que também promove benefícios quando faz parte das brincadeiras e da rotina em casa. Entre eles, estímulo da coordenação motora e melhora da sociabilização e auto-estima. 
A fala também é outro lado fortemente exercitado pela música, uma vez que trabalha com rimas, repetições de sílabas, diferentes entonações de voz e a introdução de novas palavras, que enriquecem o vocabulário dos jovens e da criançada.

No campo emocional, além de o seu filho aprender a viver melhor grupo, ele passa a ter mais facilidade para fazer novos amigos ¿ a música é mesmo uma excelente ferramenta de sociabilização!

Não podemos esquecer, ainda, que estudos comprovaram que a memória e o desenvolvimento cognitivo, motor e sensorial também são beneficiados pela música, pois ela estimula diferentes áreas do cérebro ao mesmo tempo.

Sempre bem-vinda

Os efeitos da música são benéficos mesmo quando ela é utilizada de forma descompromissada, ou seja, quando as crianças brincam de cantar em casa ou na escola, e quando os jovens ficam escutando suas bandas preferidas. Os pais só devem ficar atentos ao teor das letras ouvidas, pois certas músicas podem não ser indicadas para a garotada.

Os primeiros contatos musicais da criança devem mesmo ser espontâneos. O aprendizado de instrumentos só deve acontecer depois dos cinco anos de idade, sendo especialmente recomendo para o período da adolescência. Mas atenção: deixe que seu filho escolha o instrumento que deseja aprender. Do contrário, se ele for forçado a aprender algo que não tem vontade, dificilmente aproveitará a parte boa da música.

Com tantas opções de instrumentos, com certeza ele achará um com o qual tem afinidade!

Para finalizar, outro detalhe que não pode passar despercebido pelos pais é o de escolher um professor com boa experiência em ensinar crianças e jovens. Assim, ele terá respaldo para perceber as necessidades de cada aluno, e poderá ajudá-lo a se desenvolver cada vez mais!

Professor, profeta da esperança


por Lenildo Santana

Milhões de jovens estão matriculados nas escolas públicas. Isso seria positivo, se o sistema educacional não estivesse em crise. Os alunos são vítimas de uma pedagogia que finge que ensina…, e o pior, os educandos pensam que aprendem. São inúmeros estudantes que concluem o ensino médio, mas são incapazes de ler ou interpretar um texto. São analfabetos funcionais…

Os discentes são os alicerces do Brasil. Portanto, o futuro do país depende da educação. Os alunos de hoje serão os futuros médicos, os advogados, os políticos, os empresários e demais profissionais da nação. Isso se eles tiverem um ensino de qualidade. Só teremos êxito educacional quando repensarmos a metodologia de ensino. O conteúdo pode ser bom, mas, se o método é falho, a aprendizagem torna-se ineficaz.

O primeiro passo seria valorizar os profissionais da área da educação. Salários dignos, ambientes de trabalho adequado, capacitação contínua; disponibilizar para os educadores cursos de graduação e pós-graduação: Lato Sensu e Stricto Sensu.

Infelizmente, essa categoria tão nobre e necessária é maciçamente desprestigiada. É importante frisar que eles precisam ser valorizados e remunerados a exemplo de juízes, médicos… Por quê? Pelo fato que a função e o trabalho desenvolvido pelos educadores ser tão relevante quanto a desses profissionais.

Ninguém se torna médico, advogado, juiz, sem antes ter estudado desde o primário até a pós-graduação com os professores. Os docentes são a argamassa da construção intelectual, o alicerce da vida profissional.

Quanto à valorização dos professores, é perceptível que até na forma de tratamento eles são menosprezados. Quando um acadêmico de direito ou medicina conclui a faculdade, geralmente são cumprimentados como doutor…, e só tem graduação. Enquanto os professores que fizeram doutorado dificilmente são saudados como doutor; no entanto, o são de fato e de direito porque defenderam uma tese de doutorado. Nem assim são reconhecidos…, pobres coitados…, pura frustração…

O segundo passo seria enxergar o aluno não como um estojo vazio que precisa ser preenchido, mas, como um ser pensante fruto do meio onde está inserido… O aluno não é uma tábua rasa, mas um pouco de tudo que ele viveu, da família onde nasceu e foi criado, do carinho e atenção que recebeu dos pais, de um filme ou novela que assistiu… Por mais desinteressado que seja um jovem, ele tem algo positivo que precisa ser valorizado pelo docente.

Quem é mais importante: aquele que previne as doenças ou aquele que as trata? Certamente a medicina preventiva é mais relevante do que a curativa. Portanto, os educadores são indispensáveis, porque ensinam os jovens a serem honestos, justos, éticos; previnem e conscientizam para não roubar, não corromper, não matar; instruem para não punir; educam para que eles não sentem no banco dos réus. Oxalá um dia o governo reconheça o professor como a pedra angular que falta na edificação de uma sociedade justa, ética…

Lenildo Santana é padre da diocese de Juína, licenciado em Filosofia; bacharel em Teologia e pós-graduado em Comunicação Social. E-mail: lenildosantana@yahoo.com.br

Soneca após o almoço faz bem à saúde?


dormindo

por Mauro Vallim

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, uma sonequinha após o almoço de 10 a 20 minutos melhora o rendimento, a atenção e diminui em 50% o risco de IAM (Infarto Agudo do Miocárdio). Em outras palavras, esse descanso traz um enorme benefício à saúde além de melhorar a disposição.

Na visão da Medicina Tradicional Chinesa das 11h00 às 13h00 ocorre o pico de energia do coração. Isso significa que nesse período, se você tiver forte intensidade de estresse, sobrecarregará o sistema cardiovascular. 

Por outro lado, a reposição do sono, descanso ou meditação eleva a energia desse orgão tão importante.

Sobre a visão comportamental, um intervalo no horário de almoço traz o beneficio da renovação e gera maior motivação para a segunda parte do dia. Portanto, uma pausa no meio do dia pode significar uma recomposição fisiológica, psicológica e energética do indivíduo.

« Previous entries